Pular para o conteúdo principal

ATÉ A MORTE (Until Death, 2007), de Simon Fellows


Para quem se surpreendeu com a atuação de Van Damme em JCVD, a recomendação é o drama policial ATÉ A MORTE, de Simon Fellows. E desta vez ele não tem a desculpa de estar interpretando a si mesmo. aqui o sujeito encarna um personagem de verdade, de construção sólida que depende tão somente de um bom desempenho do homem, e consegue resultados muito acima do nível de seus companheiros da estirpe direct to video, como Steven Seagal, Dolph Lundgren, Wesley Snipes...

ATÉ A MORTE tem todo aquele climão da boa safra de filme policial dos anos 80, com um tom de tragédia e um protagonista absurdamente subversivo. Imaginem um Dirty Harry viciado em heroína, adúltero, dedo duro, um autêntico mau elemento do distrito, e aí já dá pra ter uma noção de quem é Anthony Stowe na pele de Van Damme. Mesmo sendo um usuário de drogas a grande missão de Stowe é capturar seu ex-parceiro (vivido pelo grande Stephen Rea), que agora é um dos maiores traficantes de New Orleans. Mas as tentativas de prisão sempre resultam em frustrantes fracassos. Numa delas, Stowe é baleado na cabeça e milagrosamente não morre. Após meses em coma, ele acorda, percebe o tipo de homem que era antes do atentado e tenta se redimir dos erros do passado.

Complexo demais para um Van Damme? E como eu disse, o cara manda muito bem no personagem, inclusive trabalhando as transformações do personagem, num desempenho digno de antologia na carreira do belga. É o grande destaque de ATÉ A MORTE. Mas é preciso ainda frisar o bom roteiro de Dan Harris e James Portolese, embora não possua nada de original, cria uma história sem frescuras que prende a atenção. Nem mesmo a edição e a direção, com seus momentos afetados e moderninhos, conseguem estragar a diversão.

Comentários

  1. ronald tem q ver La Sindrome di Stendhal, la tem tiro tbm.
    hahahah

    ResponderExcluir
  2. Ainda não pude conferir este filme do Damme, mas confesso que a presença do Stephen Rea me atraiu.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Esse filme é bem legal. Só não curto o tiroteio final, poderia ser bem melhor, e não me refiro somente a construção da cena, mas principalmente a resolução da trama. Mas de qualquer forma é um dos filmes mais decentes do Van Damme.

    ResponderExcluir
  4. Concordo plenamente: um dos filmes mais decentes do Van Damme e também um dos melhores dessa sua nova fase, a de "ex-galã envelhecido". Enquanto o Chuck Norris parece que virou pastor e o Steven Seagal continua se fingindo de casca-grossa mesmo gordo que nem um porco, o Van Damme tem explorado mais essa persona de herói envelhecido e cheio de defeitos, mais ou menos como está fazendo o Stallone.

    Só acho que podiam ter aproveitado melhor o vilão interpretado pelo ótimo Stephen Rea. O cara está perdidaço no filme...

    ResponderExcluir
  5. Concordo, Herax, mas se a direção das cenas de ação no final fossem melhor, compensava um pouquinho a fragilidade do desfecho.

    ResponderExcluir
  6. É, vamos ter que conferir esse também.

    ResponderExcluir
  7. Van Damme e interpretação na mesma frase... vou ler de novo pra ver se não estou ficando louco rsrsrs.

    ResponderExcluir
  8. Reli mais o blog e te adicionei ao meu 'turma boa', abs

    ResponderExcluir
  9. http://www.cinemanamesa.blogspot.co m/ conhece este blog? é fraco?

    ResponderExcluir
  10. Van Damme sempre foi melhor ator que seus concorrentes: Chuck Norris, Steven Seagal, Dolph Ludgreen, etc. E sempre procurou realizar suas produções com um pouco de dignidade, ao contrario dos demais, que só vai pegar o cache e faz tudo no piloto automático.

    ResponderExcluir
  11. Eu espero que um dia o Van Damme faça uma espécie de "prequel" deste filme, só que mostrando seu personagem sendo apenas um junkie destemperado e violento do começo do filme, sem redenção ou segundas chances, hehehe.

    ResponderExcluir
  12. Leandro Caraça21/09/2009 17:23

    Esse dá pra ver com prazer, ao contrário daquela porcaria do VINGANÇA.

    ResponderExcluir
  13. Finalmente alguém me entende! Eu gostei disto. Vi-o logo que saiu e nem queria acreditar que estava a ver o canastrão do Van Damme. Recomendo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …