Pular para o conteúdo principal

A POLÍCIA INCRIMINA, A LEI ABSOLVE (High Crime, 1973), de Enzo G. Castellari

Tempo cada vez curto para colocar as idéias em forma de texto, mas pra não deixar o blog parado em relação ao que tenho assistido ultimamente, vamos de resenhas curtinhas mesmo, na correria e do jeito que ficar, ficou. E na verdade são poucos os títulos que ando vendo. O último foi no domingo passado, este sensacional exemplar de policial italiano, dirigido pelo grande Enzo G. Castellari. Não sou tão especialista no gênero quanto o amigo Rogério Ferraz, e outros compañeros de guerra, mas o sujeito, sem dúvida alguma, é um dos maiores nomes dos polizieschi, e justamente HIGH CRIME é considerado a inauguração do estilo, claramente inspirado em OPERAÇÃO FRANÇA, de Friedkin. Se foi mesmo o primeiro filme, os amigos com mais conteúdo podem confirmar e acrescentar mais informações nos comentários.

Sobre o filme, é cinema de primeira linha, inovador e ousado, ao mesmo tempo grosseiro, brutal, rude, Franco Nero inspirado com uma atuação marcante que me chamou muito a atenção. O ator Fernando Rey (que também está em OPERAÇÃO FRANÇA) faz uma bela participação. Castellari tem uma baita personalidade na tela, independente de recursos financeiros, filma como poucos e merece muito mais respeito do que geralmente dão a ele.

Não é a toa que Dia da Fúria está preparando um especial dedicado a ele no ano que vem. Estraguei a surpresa, mas fiquem ligados!

Comentários

  1. Bela notícia. Castellari é um dos meus favoritos do cinema de acção italiano. O "Quel maledetto treno blindato" de que tanto se fala, não me agradou por aí além, mas as parcerias com o Franco Nero valem quase todas um tempinho da nossa parte. O meu favorito do senhor Castellari é obviamente um spaghetti, já que penso que tenha sido o género em que mais se evidenciou. Falo do "Keoma"! Aqueles que gostaram do "Quel maledetto treno blindato", sugiro que vejam o "Ammazzali tutti e torna solo" que é uma espécie de "Dirty dozen"...

    ResponderExcluir
  2. Aproveito e deixo aí um link para a minha resenha deste último:

    http://por-um-punhado-de-euros.blogspot.com/2009/08/ammazzali-tutti-e-torna-solo-1968.html

    ResponderExcluir
  3. Grande Pedro, obrigado pelo comentário. Mas ao contrário de você, eu adoro o Quel maledetto treno blindato... não é dos melhores, mas tem seus momentos. Prefiro o Castellari do policial e do western. Keoma é mesmo uma obra maravilhosa.

    Já o Ammazzali tutti e torna solo eu tenho aqui pra ver, mas não consegui ver ainda (E valeu pelo link, belo texto). Estou também com Johnny Hamlet, do Castellari pra ver... já viu este?

    ResponderExcluir
  4. Sim. É um filme algo diferente do habitual estilo movimentado e explosivo. Ao que parece o projecto era para ser executado por Sergio Corbucci mas acabou nas mãos de Castellari. Basicamente atiraram-se ao Shakespeare com uma mistura de elementos spaghetti. O resultado é muito positivo. As cenas das crucificações são um marco. Recomendo!

    ResponderExcluir
  5. Especial dele ... reconheço que não conheço boa parte do que ele fez. Sou um novato na parada rs.

    ResponderExcluir
  6. Falando em Castellari, eis aqui imagens de seu novo filme: http://www.youtube.com/watch?v=-A79-CgkLZs

    ResponderExcluir
  7. Já até postei essas imagens... valeu!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …