25.5.09

QUATRO NOITES COM ANNA (Cztery noce z Anna, 2008), de Jerzy Skolimowski


Estava com este filme aqui mofando há algum tempo, mas só agora resolvi colocar na agulha pra conferir, principalmente por ser o retorno, depois de quase vinte anos de abstinência cinematográfica, de um dos grandes monstros do cinema europeu, Jerzy Skolimowski. Sempre recomendo aos amigos ATO FINAL, filme do diretor que retrata a juventude de uma forma bastante expressiva, tanto como registro ideológico daquela época, quanto pelos fatores estéticos e cinematográficos. Um dos meus filmes favoritos da década de 70.

Mas vamos logo ao filme em questão, QUATRO NOITES COM ANNA, cujo título me lembra filme de sacanagem, mas não é nada disso (e não fiquem desanimados, ok?), trata-se de uma belíssima e melancólica estória de amor platônica e obsessiva, que na visão pessimista do diretor, literalmente dá de cara com o muro. Temos um sujeito meio excêntrico como protagonista que, por mais que a câmera de Jerzinho o acompanhe de perto, ficamos com a sensação de que nunca vamos entendê-lo. Mas não deve ser fácil trabalhar num crematório de hospital, tendo que manusear membros humanos decepados depois de tomar um café da manhã nutritivo; muito menos viver numa cidadezinha do interior polonês que mais parece um vilarejo da idade média. Lugar lindo, por sinal, típico ambiente que adoraria visitar, mas ficaria biruta se precisasse morar.
E pra piorar a situação do nosso amigo, ele vive atormentado pela lembrança de ter testemunhando um estupro do qual não fez nada para ajudar a vítima, a Anna do título. Mas acaba se apaixonando por ela, começa a persegui-la, praticar voyeurismo espiando pela janela, até que decide ir mais longe, invadindo a casa da arrombada, colocando sonífero em seu açúcar para visitá-la durante as noites. Aí não conto mais nada pra não estragar o desenrolar da trama, que é magistralmente conduzida pelo polonês, imprimindo um ritmo calmo por detrás de uma estética dark e bem carregada nos ambientes fechados, ou se aproveitando da  beleza natural do cenário inóspito. Pois é, criaturas, Jerzinho voltou em grande forma! 

Obs: Durante o hiato afastado do cinema, Skolimowski dedicou-se profissionalmente à pintura. Mais um bom exemplo de cineasta ligado às artes plásticas, que gerou um pequeno bate papo no último post sobre o tema. 

Obs2: Todos já receberam essa informação, mas devo dizer que gostei da vitória do Haneke no festival de Cannes, que se encerrou neste domingo. O sujeito merecia este prêmio há muito tempo!

6 comentários:

  1. Acertei 2 dos 4 palpites que dei sobre Cannes. Como dizem no Jogo do Bicho, não acertei na cabeça, mas acertei do primeiro ao quinto.

    ResponderExcluir
  2. Acertei os dois palpites que dei, inclusive o ganhador da Palma. Acerto de 100% portanto. Se eu jogasse no bicho...rsss

    ResponderExcluir
  3. Que animal o Haneke representaria no jogo do bicho? hehe

    ResponderExcluir
  4. Leão, grupo 16 na cabeça hehehe!

    ResponderExcluir
  5. E cravei o Tsai Ming-liang na cabeça. Chinês fazendo um filme de metalinguagem com atores franceses devia ser uma barbada em Cannes. Devia ter apostado no Haneke, que era óbvio mas garantido

    ResponderExcluir
  6. Preciso ocnhecer mais do Skolimowski. Só vi aquele com a Kinski.

    ResponderExcluir

MUDANÇA DE CASA

Depois de um feedback por aqui e na página do Dementia¹³ no facebook , resolvi tomar mesmo a decisão de fechar as portas por aqui e me muda...