Pular para o conteúdo principal

MARTYRS (2008), de Pascal Laugier


Já faz alguns anos que o cinema francês tem exportado uma leva de filmes não recomendados para quem tem coração fraco e estômago sensível. Eu não cheguei a ver nem metade do que foi lançado, mas fui surpreendido em quase todas as vezes que me deparei com algo do naipe de IRREVERSÍVEL, de Gaspar Noé; HAUTE TENSION, de Alexandre Aja; A INVASORA, de Alexandre Bustillo e Julien Maury e por aí vai...

A bola da vez é este MARTYRS, segundo longa do cineasta Pascal Laugier, que por “culpa” do Leandro Caraça em seu blog acabou intrigando todo mundo e fez uma galera boa arranjar o filme de alguma forma pra conferir. E valeu a pena, pois essa belezinha não fica nem um pouco atrás daqueles exemplos que dei no parágrafo anterior. É o filme mais subversivo, provocador e violento que eu vi em 2009.

E como bem observou o Herax em seu blog, não vale a pena dissertar sobre a trama, porque justamente a melhor coisa de MARTYRS é debruçar sobre o filme sem saber absolutamente nada e ir descobrindo aos pouquinhos o que filme vai revelando (e ainda é perfeito na fotografia, maquiagem, etc...). A única coisa que eu poderia dizer sem estragar a surpresa é que todo gore extremo, litros de sangue e momentos perturbadores possuem uma justificativa das mais interessantes e faz todo sentido.

A direção de Laugier é ótima. Desde os primeiros segundos de projeção percebe-se que a coisa toda vai ser frenética. O sujeito também demonstra ser um conhecedor das boas maneiras de provocar ou chocar o público, como numa das primeiras lições do filme: “estragando o café da manhã de uma família burguesa francesa”. O próximo trabalho de Laugier é a nova versão de HELLRAISER, clássico do terror oitentista que parece estar em boas mãos...



PRÊMIO DARDOS: Dois caras de respeito e que eu admiro muito o trabalho (Cesar Almeida, do Dollari Rosso e do B Movies Box Car Blues e o Herax, do Viscera) me mandaram o Prêmio Dardos que “reconhece os valores que cada blogueiro mostra a cada dia, seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. Em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, suas palavras”. Agradeço sinceramente aos dois amigos pela lembrança. E já que eu fui premiado, devo seguir as seguintes instruções:

1) Exibir a imagem do selinho em seu blog;
2) Linkar o blog pelo qual recebeu a indicação;
3) Escolher outros 5 blogs a quem entregar o Prêmio Dardos,
4) Avisar os escolhidos.

Então vamos lá, os blogs escolhidos são esses aí:

Vá e Veja, do Osvaldo Neto
Filmes para Doidos, do Felipe M. Guerra
Kino Krazy, do Sergio Andrade
Olhar Implícito, do Vlademir Lazo
Viver e Morrer no Cinema, do Leandro Caraça

Comentários

  1. Martyrs realmente foi um dos filmes mais chocantes que vi nesse ano, juntamente com Hunger.

    Achei bem mais perturbador que A Invasora, por exemplo, não na violência física, onde o filme do Bustillo tem mais, mas na psicológica, aliada ao gore que também não é pouco nesse filme.

    Já recebi esse prêmio Dardos também. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. vejo que aquele momento de exitação ("não sei o que escrever") passou rapidinho, belo texto!!

    ResponderExcluir
  3. Opa, obrigado pelo prêmio! Valeu, mesmo!!!

    O que eu faço, agora? Repito a mesma coisa que você fez (colar o selo e a msg do prêmio, escolher 5 blogs de minha preferência, etc.)?

    Mais uma vez, muito obrigado, meu caro. Abração!

    ResponderExcluir
  4. osvaldo neto26/03/2009 20:49

    Obrigado, Ronald. :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …