24.3.09

MARTYRS (2008), de Pascal Laugier


Já faz alguns anos que o cinema francês tem exportado uma leva de filmes não recomendados para quem tem coração fraco e estômago sensível. Eu não cheguei a ver nem metade do que foi lançado, mas fui surpreendido em quase todas as vezes que me deparei com algo do naipe de IRREVERSÍVEL, de Gaspar Noé; HAUTE TENSION, de Alexandre Aja; A INVASORA, de Alexandre Bustillo e Julien Maury e por aí vai...

A bola da vez é este MARTYRS, segundo longa do cineasta Pascal Laugier, que por “culpa” do Leandro Caraça em seu blog acabou intrigando todo mundo e fez uma galera boa arranjar o filme de alguma forma pra conferir. E valeu a pena, pois essa belezinha não fica nem um pouco atrás daqueles exemplos que dei no parágrafo anterior. É o filme mais subversivo, provocador e violento que eu vi em 2009.

E como bem observou o Herax em seu blog, não vale a pena dissertar sobre a trama, porque justamente a melhor coisa de MARTYRS é debruçar sobre o filme sem saber absolutamente nada e ir descobrindo aos pouquinhos o que filme vai revelando (e ainda é perfeito na fotografia, maquiagem, etc...). A única coisa que eu poderia dizer sem estragar a surpresa é que todo gore extremo, litros de sangue e momentos perturbadores possuem uma justificativa das mais interessantes e faz todo sentido.

A direção de Laugier é ótima. Desde os primeiros segundos de projeção percebe-se que a coisa toda vai ser frenética. O sujeito também demonstra ser um conhecedor das boas maneiras de provocar ou chocar o público, como numa das primeiras lições do filme: “estragando o café da manhã de uma família burguesa francesa”. O próximo trabalho de Laugier é a nova versão de HELLRAISER, clássico do terror oitentista que parece estar em boas mãos...



PRÊMIO DARDOS: Dois caras de respeito e que eu admiro muito o trabalho (Cesar Almeida, do Dollari Rosso e do B Movies Box Car Blues e o Herax, do Viscera) me mandaram o Prêmio Dardos que “reconhece os valores que cada blogueiro mostra a cada dia, seu empenho por transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. Em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, suas palavras”. Agradeço sinceramente aos dois amigos pela lembrança. E já que eu fui premiado, devo seguir as seguintes instruções:

1) Exibir a imagem do selinho em seu blog;
2) Linkar o blog pelo qual recebeu a indicação;
3) Escolher outros 5 blogs a quem entregar o Prêmio Dardos,
4) Avisar os escolhidos.

Então vamos lá, os blogs escolhidos são esses aí:

Vá e Veja, do Osvaldo Neto
Filmes para Doidos, do Felipe M. Guerra
Kino Krazy, do Sergio Andrade
Olhar Implícito, do Vlademir Lazo
Viver e Morrer no Cinema, do Leandro Caraça

6 comentários:

  1. Martyrs realmente foi um dos filmes mais chocantes que vi nesse ano, juntamente com Hunger.

    Achei bem mais perturbador que A Invasora, por exemplo, não na violência física, onde o filme do Bustillo tem mais, mas na psicológica, aliada ao gore que também não é pouco nesse filme.

    Já recebi esse prêmio Dardos também. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. vejo que aquele momento de exitação ("não sei o que escrever") passou rapidinho, belo texto!!

    ResponderExcluir
  3. Opa, obrigado pelo prêmio! Valeu, mesmo!!!

    O que eu faço, agora? Repito a mesma coisa que você fez (colar o selo e a msg do prêmio, escolher 5 blogs de minha preferência, etc.)?

    Mais uma vez, muito obrigado, meu caro. Abração!

    ResponderExcluir
  4. osvaldo neto26/03/09 20:49

    Obrigado, Ronald. :)

    ResponderExcluir