Pular para o conteúdo principal

GRITO DE HORROR (The Howling, 1981), de Joe Dante


Queria escrever sobre WATCHMEN, mas ainda não assisti. Adiei para hoje (sábado). Sei que tem muita gente que já meteu o pau sem assistir e que não gosta do Zack Snyder, etc. Até entendo o ponto de vista, mas eu estou curiosíssimo. Amanhã (domingo) saberemos as minhas impressões. Por enquanto, andei vendo este ótimo filme de lobisomem, dirigido pelo mestre Joe Dante, que havia se reunido mais uma vez com o roteirista de PIRANHAS, John Sayles, para entregar GRITO DE HORROR.

É um filme visionário no campo da licantropia. Até então, os lobisomens eram mostrados no cinema como homens um pouco mais peludos que o normal, com suas roupas rasgadas, os caninos mais afiados e as unhas pontudas. Dante e Sayles, juntamente com uma equipe técnica excelente, desenvolveram umas criaturas monstruosas e inovadoras que devem ter feito muito moleque pedir pra dormir no meio dos pais durante a noite (e ainda por cima assistiram escondidos, já que uma criança não deveria ver esse tipo de filme... brincadeira!).

É que o tema é trabalhado no roteiro de uma maneira bem moderna, inteligente, sensual, séria, com os elementos e a atmosfera do horror sendo mantidas ao longo de toda duração, diferente da abordagem de John Landis em UM LOBISOMEM AMERICANO EM LONDRES, que foi rodado no mesmo ano e mistura comédia de humor negro na salada.

Na verdade, os dois filmes são tão diferentes que fazer comparações seria algo estúpido, a não ser é claro nos quesitos técnicos em que ambos são sensacionais, especialmente a transformação dos condenados em lobisomens. A do filme de Landis, feita por Ricky Baker é genial em todos os sentidos, mas a de GRITO DE HORROR, por Rob Bottin (de THE THING, do Carpenter), é muito mais sombria e assustadora, assim como o filme todo é, em comparação estúpida com o do Landis.

Baker até chegou a trabalhar em GRITO DE HORROR, mas quando Landis disse que iria fazer o seu, ele trocou de time. Mas foi bom pra mostrar que existiam outros mestres dos efeitos especiais à moda antiga tão competentes quanto o Baker. A cena em que mostra todos os detalhes da transformação do lobisomem, com aquela luz maravilhosa e expressionista sob os acordes de Pino Donaggio, é uma coisa linda e perturbadora! E a protagonista lá estática e assustada vendo aquilo tudo acontecer lentamente... por que diabos ela não saiu correndo?

É o tipo de pergunta que não se deve fazer e que guarda a essência de toda essa era do cinema de horror americano...

OBS 1: GRITOS DE HORROR tem um elenco bem legal composto de gente do calibre de John Carradine e Dick Miller em papéis especiais e algumas aparições que valem a pena procurar enquanto se assiste, como Forrest J. Ackerman, Roger Corman e o roteirista John Sayles.

OBS 2: Observação estúpida, mas eu particularmente prefiro UM LOBISOMEM AMERICANO EM LONDRES...

Comentários

  1. Também prefiro bem mais Um Lobisomem Americano em Londres, uma das melhores (senão a melhor) mistura de terror com humor no cinema. Sem desmerecer o do Joe Dante. Mas o do Landis, a meu ver, é o melhor filme de lobisomem de todos os tempos.

    ResponderExcluir
  2. Mas se tu tivesse que ir para uma ilha deserta, tivesse só esses dois dvds pra escolher e só pudesse levar apenas 1. Qual você escolheria?

    (pergunta estúpida!)

    ResponderExcluir
  3. Eu sou mais do "Um Lobisomem Americano em Londres" porque foi o filme que me iniciou no cinema de horror, então eu devo ao John Landis o fato de ser um pervertido fã de coisas assustadoras e violência explícita. Mas "Grito de Horror" é ótimo também, me dá um desgosto de ver que os filmes de lobisomens que essa garotada vê hoje em dia são essas merdas de "Anjos da Noite" e coisas do gênero, onde tudo é feito por CGI e os lobisomens parecem uns cães pulguentos...

    Agora, acredito até que deva ter sido coincidência, mas você começou sua resenha falando que queria ter assistido "Watchmen", e depois partiu para a análise de outro filme onde o símbolo do smile (a carinha amarela sorridente) tem participação marcante na trama!!!!

    E ignore as críticas: tirando as cenas de ação ruins, "Watchmen" ficou muito bom. E olha que eu estava louco pra falar mal! ;-)

    ResponderExcluir
  4. Caramba! É verdade, Guerra, nem me lembrei desse detalhe quando comentei que queria falar sobre o Watchmen...

    E bom saber que você (que era um dos que eu sabia que ia falar mal, hehehe) gostou. Me deixou mais curioso ainda!

    ResponderExcluir
  5. Também prefiro o filme do Landis, mas The Howling é bem legal!

    ResponderExcluir
  6. Joe Dante e John Landis são dois dos diretores mais subestimados do cinema americano. Small Soldiers é um clássico da infância.

    ResponderExcluir
  7. Johnny Ratazana07/03/2009 14:51

    Esse filme é muito bem feito.
    Me impressionou bastante quando vi, por ser tão bem feito...

    ResponderExcluir
  8. Prefiro The Howling, botaria num top 10 dos 80's. Mas eu adoro o do Landis tbm.


    Sai daqui, tem gente muita mais subestimada que John Landis.

    ResponderExcluir
  9. Tem porra, por isso mesmo que eu falei que era um dos.

    ResponderExcluir
  10. John Landis é bom pra caralho. Eu gosto mais dele do que do Joe Dante. Mas em relação aos filmes de lobisomem, se fosse pra escolher um dos 2 ia ser foda.

    ResponderExcluir
  11. Daniel The Walrus15/03/2009 22:44

    Não consigo achar nada demais nesse filme. Não é ruim, mas é absolutamente normal. Um pouco sem graça, talvez.

    Nem se compara com Lobisomem Americano...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …