8.3.10

CAÇADORES DE EMOÇÃO (Point Break, 1991), de Kathryn Bigelow

Em homenagem a Kathryn Bigelow, a primeira mulher a ganhar o oscar de melhor diretor(a), com o filmaço THE HURT LOCKER, gostaria de relembrar um dos meus filmes favoritos comandado por ela. Não tive tempo de rever, então vai pelas recordações que tenho. Eu sei que CAÇADORES DE EMOÇÃO possui vário pontos piegas e ainda tem Keanu Reeves como protagonista (o papel teria sido mais aproveitado se Johnnie Depp tivesse aceitado), mas de qualquer forma é um puta filme policial de ação!!! Tirando o Reeves, temos um elenco bem forte formado por Patrick Swayze, John C. McGinley e, meu preferido, Gary Busey, que está magnífico; além das pontas de Vincent Klyn, Tom Sizemore e até o Anthony Kiedis, vocalista da banda Red Hot Chili Peppers.

O roteiro é bem óbvio, sobre um agente do FBI (Reeves) que se infiltra numa tribo de surfistas para descobrir os responsáveis por uma onda de assalto a bancos. Os criminosos utilizam máscaras de presidentes americanos para esconder o rosto nos assaltos. Durante as investigações, Reeves inicia uma forte amizade com o personagem de Swayze, um surfista emblemático que sonha encontrar a onda perfeita e é o principal suspeito dos assaltos. O filme inteiro acompanhamos um Keanu Reeves cada vez mais em dúvida sobre o que faz. Mesmo com a trama já manjada, não é a intenção de Bigelow fazer surpresas com o público em sacadas espertinhas de roteiro. O filme é envolvente na forma pela qual ela constrói com precisão a relação perigosa entre os dois sujeitos, trabalhando narrativamente o gênero policial e acrescentando boas doses de ação. Por mais que seja um filme torto em vários momentos, CAÇADORES DE EMOÇÃO marcou muito minha cinefilia quando tinha esse filme gravado em VHS e não passava mais de quinze dias sem assisti-lo. Não estou exagerando, eu era garoto e devia ter muito tempo de sobra na época... Desde que comprei o DVD não parei para vê-lo ainda. Tenho até um certo receio pela probabilidade dele ter envelhecido mal, mas qualquer hora dessas eu arrisco.

UPDATE: Acabei de rever! Continua o mesmo filmaço que assistia quando era um putinho.

23 comentários:

  1. Ótima homenagem com um ótimo filme... Gostaria de revê-lo mas realmente marcou minha "cinefilia" tb, rs...

    ResponderExcluir
  2. Nunca curti muito esse filme, mas baixei para reve-lo, quem sabe eu mudo de ideia.

    ResponderExcluir
  3. Olha, eu vi esse filme na época umas 3 vezes no cinema, fora umas duas na TV depois, mas tem mais de 10 anos que não o revejo; Mas acredito que ainda gosto dele. Reveja-o Herax. De uma coisa tenho certeza: Ele é muito bem dirigido e editado. Ritmo é que não falta ao filme da Bigelow. Acho impressionante o trabalho dela nesse Guerra ao Terror. Pra mim uma obra-prima do cinema contemporaneo! Nem precisava dessa bobagem de Oscar, mas ajuda a tornar mais acessível esse grande filme.

    ResponderExcluir
  4. Leandro Caraça08/03/10 15:47

    Bigelow sempre foi uma ótima diretora. Só pecava em pegar roteiros ruins, dos quais ela quase sempre conseguia tirar coisas boas. "Guerra ao Terror" é de longe seu melhor filme.

    ResponderExcluir
  5. Devia rever. É obra-prima, e nem é piegas.

    ResponderExcluir
  6. O filme não é, mas alguns momentos são. Pô, Keanu Reeves atirando pra cima aos gritos é super piegas...

    ResponderExcluir
  7. Leandro Caraça08/03/10 17:39

    Todo aquele papo de 'surfista zen vs. o poderio capitalista dos hómi" também é piegas até dizer chega.

    ResponderExcluir
  8. Também... mas em compensação, várias coisas me agradam muito. Nada muito brilhante, mas particularmente adoro, como todo o final, Reeves deixando Swayze pegar a onda. Aquela perseguição a pé também é muito bacana. Ah, e as cenas dos assaltos são verdadeiras aulas de direção.

    ResponderExcluir
  9. Eu também me amarro nesse filme. Aliás, nesse filme gosto até do Reeves! Hehe. Se ele não é grande coisa como ator ao menos deu alguma intensidade ao conflituoso Johnny Utah. Aliás, que nome maneiro o do personagem dele. Gosto da cena da tocaia na casa dos surfistas traficantes, com uma gostosa pelada dando porrada no Reeves, hehe. Nem parece coisa de filme dirigido por mulher! Aliás, descobri que essa mulher é a mesma que faz a mulher do Ben Gazzara no "Matador de Aluguel", que dá altos moles pro Patrick Swayze, além do Strip na boate. Um dos grandes momentos do cinema americano dos anos 80, sem dúvida!

    ResponderExcluir
  10. Taí porque eu preciso rever esse filme! como eu fui me esquecer do Reeves apanhando da mulher pelada?!

    ResponderExcluir
  11. Eu me lembro que eu era pequeno e quando assisti esse filme fiquei p da vida porque o Gary Busey morre.

    ResponderExcluir
  12. Um filme muito bom, realmente! saudoso Swayze!

    abraço

    ResponderExcluir
  13. A melhor cena de tiro para cima estrelando o Keanu Reeves da História. Muito bem citada em "Hot Fuzz".

    ResponderExcluir
  14. Pô, vcs todos veem trocentos filmes Z de ação com Lundgren e cia, com momentos piegas infinitamente mais constrangedores que qualquer um de Point Break e não vejo apontando esses defeitos. Concordo com o kevin, não achei nada piegas. A cultura do surf está muito bem definida no filme e os tiros do Keanu (Q tá em um dos melhores papéis da vida dele, junto com o Swayze q tb nunca foi grande coisa, mas agora q morreu tá todo mundio pagando pau) pra cima funcionam bem como momento tenso e dramático, na minha opinião.

    É um filmaço de ação, um dos melhores dos anos 90 fácil. Inclusive melhor que qualquer coisa que Michael Mann fez nessa última década. Nhé, nhé!

    ResponderExcluir
  15. "Eu me lembro que eu era pequeno e quando assisti esse filme fiquei p da vida porque o Gary Busey morre."

    Idem. Lembro até de ter ficado meio chocado com a cena, pq além de ser muito inesperada e out of the blue, foi visualmente bem violenta!

    ResponderExcluir
  16. "Gosto da cena da tocaia na casa dos surfistas traficantes, com uma gostosa pelada dando porrada no Reeves, hehe. Nem parece coisa de filme dirigido por mulher! "

    Hahahaha. Vero. É uma das melhores cenas de tocaia da história do cinema! Até pq é bem realista. Tudo que podia dar errado, dá. Para os dois lados (Mocinhos e bandidos) O Red Hot atirando no próprio pé é hilário.

    ResponderExcluir
  17. É que apontar momentos piegas em um filme classe Z do Steven Seagal e Dolph Lundgren é chover no molhado... o grande charme desse tipo de filme sãso os detalhes ridículos e que o torna engraçado...

    Já Point Break é um filme que se leva a sério, então os defeitos é para serem apontados. Mas deixo bem claro que não me incomoda em nada! Pelo contrário, como disse no texto, adoro esse filme e preciso apenas rever para confirmar isso. Mas pelas minhas lembranças é um puta filmaço de ação!

    Agora, melhor que qualquer coisa que o Mann fez na última década, aí eu discordo, hehe

    ResponderExcluir
  18. Pô, e a mulher pelada ainda dá o maior pau no Reeves! lembro de uma cena semelhante em Sol Nascente com Wesley Snipes, mas o negão se dá melhor contra a peladona, resolvendo a situação apontando o trabuco pra gostosa logo!

    ResponderExcluir
  19. Mas eu nem acho q Point Break se leva tão a sério assim. É claramente um filme de verão em uma época que esses filmes ainda eram legais. Acho que tem até bastante dose de humor negro. E nas cenas dramáticas, elas realmente são poderosas. A cena q o Johnny pula sem para-quedas é uma das cenas que me arrisco a dizer, das mais eletrizantes que já vi no cinema. Uma cena que eu adoraria ter inventado-dirigido se fosse um cineasta fazendo um filme de ação.

    Agora concordo 100% que Johnny Depp teria tirado de letra o papel do Johnny utah. Inclusive o Keanu deve a carreira dele pro Depp, q recusou não só esse papel, mas tb em Speed e Matrix.

    ResponderExcluir
  20. "Mas eu nem acho q Point Break se leva tão a sério assim."

    Concordo, mas em comparação com filmes classe Z, não é tipo de filme que vou me divertir com o humor involuntário, pelo contrário, me divirto com pontos positivos. Quando surge algo torto, fica evidente.

    A cena da perseguição a pé é uma coisa linda, mas termina com aqueles tiros ridículos, mas é mero detalhe que não me incomoda, embora não deixe de ser piegas, na minha opinião.

    Ao mesmo tempo, Reeves pulando sem para-quedas é ótimo, mas também pode soar ridiculo para algumas pessoas.

    Enfim, é um filme totalmente irregular, que pode ter seus momentos geniais quanto seus momentos constrangedores, mas ambos podem causar efeitos diferentes em cada um, se é que me entende, não sei se estou sendo claro...

    ResponderExcluir
  21. Entendi sim. Aí entra a boa e velha subjetividade. Tava discutindo agora a pouco com o Renato sobre Dança com Lobos, e ele disse q a cena do Costner correndo no cavalo com os braços abertos no meio do tiroteio provoca nele a mesma sensação da cena do Reeves pulando sem para-quedas. Ele ama, adoraria ter feito, etc. Mas tem gente q tb acha ridículo. Mas até aí tem gente que tb acha ridículo até as cenas de luta de Raging Bull e da escadaria de Intocáveis. Então não tem como discutir isso, fica ao gosto do freguês. Só continuo achando que essa irregularidades, esses momentos tortos, no filme, pra mim, não existem.

    ResponderExcluir
  22. É isso aí, exatamente esse o ponto.

    Quanto a sua última frase, eu continuo achando que o filme tem seus momentos tortos, mas eles não interferem na minha admiração pelo filme...

    Devo gostar tanto quanto você. Hehe

    ResponderExcluir
  23. Reveja o filme nem é pieguisses, acho normal tudo q tem ali. Também vale lembrar que não pode ir achando q a vibe surf é uma das piores coisas do mundo, até pq não é.

    ResponderExcluir