Pular para o conteúdo principal

FÚRIA SILENCIOSA (Silent Rage, 1982), de Michael Miller

Um dos meus filmes preferidos do Chuck Norris é FÚRIA SILENCIOSA. É também um dos filmes mais estranhos do homem. Uma híbrida junção de slasher movie oitentista com uma pitada de sci-fi e os filmes de porrada que Norris estrelava naquela época, inclusive o seu personagem é o habitual xerife casca grossa de uma pequena cidade americana.

O filme inicia na casa de um sujeito de família. Claramente perturbado, ele pega um machado e faz sua esposa de picadinho. O xerife é chamado e depois de uma luta corpo a corpo com o sujeito, consegue prendê-lo. Os elementos bizarros começam a surgir nesse momento. Ainda algemado dentro carro, o moço quebra as correntes, arranca a porta do carro com um chute e o espectador fica sem reação com a força descomunal do homem, que precisa ser parado à bala!

Chuck Norris mais uma vez é o xerife durão!

O cara acaba morrendo na mesa de operações do hospital, onde os médicos ainda tentavam salvá-lo. A partir deste ponto, nota-se que estamos diante de um filme diferente estrelado por Norris. O sujeito, na verdade, era uma cobaia de uma experiência médica que reconstrói os tecidos humano rapidamente, igual ao Wolverine. Dois médicos resolvem ressuscitar o cadáver com uma dose do medicamento ainda em teste, o que eles não imaginavam é que, após acordar, o sujeito se tornaria uma máquina de matar com uma super força e invulnerável.

Cenário de Suspíria ou um filme do Mario Bava?

É isso mesmo, meus caros, por incrível que pareça Chuck Norris enfrenta uma espécie de zumbi em FÚRIA SILENCIOSA! Ron Silver interpreta um médico que se opôs aos seus colegas nas experiências em interferir com o destino do morto. Como na filosofia desta espécie, a criatura acaba matando seus criadores. Aliás, o ressuscitado acaba matando quase todo o elenco, exatamente como os slashers oitentistas. Ele só não contava com os roundhouse kick’s de um certo xerife.

roundhouse kick na cara!

Tirando uma cena de briga de bar, onde Norris enfrenta uma gangue de motoqueiros, toda narrativa de FÚRIA SILENCIOSA é tratada como um filme de suspense. O diretor Michael Miller optou por longos planos, especialmente dentro de ambientes fechados, e não são poucos os momentos onde o assassino com um objeto cortante espreita atrás de alguma vítima, com direito a câmeras subjetivas e atmosfera típica do terror da época.

A briga no bar é inserida de forma nada orgânica. Apenas para que o ator possa dar uma demonstração de suas habilidades de defesa corporal e também para os fãs que esperavam um filme de mais ação não saiam reclamando que o filme é uma merda completa. Ou talvez estava no contrato e o diretor só percebeu depois que já havia feito um filme de terror. “Diretor, quando é minha cena de luta?” “Hã?!”. Mas a sequência é excelente, diga-se de passagem...

Chuck Norris paquerando.

Momento de amor...

O filme tem ótimos momentos, como o videoclip ao som de uma canção romântica e imagens de amor entre Norris e sua garota. É um momento de amor, o cara também tem coração. E claro, temos o grande final com o confronto entre o herói e a figura bizarra que não morre. Norris mete chumbo grosso, joga o sujeito pela janela do sexto andar, um carro explode com o homem dentro e nada. O jeito foi resolver no tapa mesmo!

FÚRIA SILENCIOSA é um filme fascinante para quem acha que já viu de tudo. Vale a pena uma conferida!

Comentários

  1. Bela resenha. Filme muito divertido mesmo. O immortal-killer era assustador e o finalzinho ao melhor estilo "eu voltarei" assombrava qualquer um.

    Chuck arriscou umas coisas diferentes na época. Além desse filme aí, teve o "Perigo Mortal", onde ele enfrentava o demo em pessoa (anos antes do Schwarza, em "Fim dos Dias").

    ResponderExcluir
  2. Eis um filme que quero rever há milênios, mas não encontro mais o DVD e tenho preguiça de baixar.

    Para mim, é o clássico "Chuck Norris versus Michael Myers". hahaha.

    ResponderExcluir
  3. Lembro de já ter mencionado por aqui esse filme em um outro post seu sobre o Chuck Norris, esse é um dos que assisti quando criança e nunca esqueci. E o post me lembrou de um outro do Norris que assisti já crescidinho, mas lembro de ter me decepcionado, "O Herói e o Terror" (não sei o título original), viu esse?

    ResponderExcluir
  4. Bastante diferente do habitual para o Chuck Norris. Eu sem preferi as incursões Vietnamitas, deste já nem me recordava, mas parece-me que tenho de rever.

    ResponderExcluir
  5. Eu não gostei do filme!

    Sou muito mais os filmes de muita porrada do Chuck Norris.

    ResponderExcluir
  6. Fiquei com vontade de ver!

    ResponderExcluir
  7. Doggma, seja bem vindo, meu conterrâneo. Perigo Mortal eu vi também e é bem divertido!

    Vlad, estou com Hero and Terror aqui pra assistir, mas não vi ainda. Espero não ter a mesma reação que você! :)

    Pedro e Herax, podem ver e rever que eu tenho certea que vocês vão adorar!

    ResponderExcluir
  8. Sempre fiz confusão com esse e O HERÓI E O TERROR, até mesmo agora lendo o texto!

    ResponderExcluir
  9. "O Herói e o Terror" é um filme que rende menos do que devia: poucas lutas, desperdício do talento do Steve James, mas visto com muito desinteresse é um filme bem divertido. Sem sacanagem, a base do filme chega a ser infantil de tão simplória, mas quando vi gostei da fragilidade do Norris nesse filme. Sério. Ele não é o tira mais durão da cidade, é um sujeito que com muita cagada capturou um assassino e precisa ir atrás do mesmo quando esse foge da instituição que estava internado. De quebra ainda tem o Billy Drago fazendo papel de gente boa. Muito longe de ser um bom filme ou mesmo um filme divertido do Norris, mas não é o pior filme de todos.

    Agora, cá entre nós, Norris nasceu pra ser xerife!

    ResponderExcluir
  10. Ricardo Americo09/10/2011 12:40

    Merece continuação,pois este filme é uma mistura de western e terror.

    ResponderExcluir
  11. Muito legal esse filme. Lembro que assisti quando criança acho que no supercine da globo. Aquela ultima cena do cara voltando do lago era foda,bem tipica anos 80. Chuck norris desce a porrada e o cara nao caia. Muito bom.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …