Pular para o conteúdo principal

THE BUTCHER (2009)


Estava de olho nesse THE BUTCHER (2009) há algum tempo, lendo algumas críticas gringas de pessoas que compartilham o mesmo gosto que o meu. Foi lançado diretamente em DVD lá fora, não tenho idéia se estará um dia disponível nas nossas prateleiras, espero que sim. Mas foi o meu velho amigo Osvaldo Neto que deu o sinal verde dizendo que era realmente um filmaço. Como eu adoro produções modestas, especialmente de ação, que aproveitam (ou ressuscitam) alguns talentos esquecidos e marginalizados pelos grandes estúdios, como é o caso de Eric Roberts e outras figuras simpáticas que surgem por aqui, fui correndo conferir.

Visto e aprovado, posso dizer que realmente trata-se de um puta filme de ação old school casca grossa, sem firulas de diretores moderninhos que fazem gracinha ao invés de cinema de verdade! E Eric Roberts é um monstro! O sujeito está em plena forma encarnando um ex-boxeador que agora trabalha fazendo o serviço sujo para a máfia. Jogador obsessivo, apreciador de um inebriante, anacrônico e totalmente cool, seu personagem acaba tendo que resolver à base de chumbo grosso uns probleminhas que arranjou com seu próprio chefe, Murdoch (o também subestimado Robert Davi). O roteiro é bom, embora não traga muitas novidades e demora um pouco para engrenar. Mas trabalha bem os clichês do gênero e possui personagens interessantes. O elenco é ótimo: Além de Roberts e Davi, temos Keith David, Geoffrey Lewis, Michael Ironside, Vernon Wells, Paul Dillon, Jerry Trimble, alguns com pequenas participações, mas muito bem aproveitados.


É provável que o britânico Jesse V. Johnson torne-se um diretor a ser acompanhado. Já familiarizado com cinema de baixo orçamento, tem em seu currículo algumas pérolas estreladas por Don “The Dragon” Wilson e Mark Dacascos, dois nomes que podem espantar a freguesia, mas basta uma sequência de THE BUTCHER para provar que o sujeito é herdeiro do bom e velho “cinema físico” de Peckinpah. O brutal tiroteio no bar não chega a altura de Bloody Sam, obviamente, mas há muito tempo que não vejo a utilização da violência em filmes de ação de maneira tão segura e exemplar. E não só isso, o sujeito tem noção dos espaços, da arquitetura da ação, dos enquadramentos, montagem, enfim, V. Johnson foi uma belíssima descoberta para o cinema de ação! O diretor de MEU ÓDIO SERÁ SUA HERANÇA com certeza se sentiria orgulhoso.

Johnson, na verdade, é dublê e trabalhou em vários filmes dos anos 90 de diretores do nível de Paul Verhoeven e Tim Burton. Seu próximo trabalho na direção a ser lançado é o drama de gangster CHARLIE VALENTINE, que conta em seu elenco umas figuras do calibre de Raymond J. Barry, James Russo, Tom Berenger, Steven Bauer, Keith David! Já está entre os meus filmes mais aguardados.


Comentários

  1. você me deixou empolgado, acho que vou gostar dessa bagaça... só não baixei ainda pois não localizei legenda em português... você viu sem legenda mesmo?

    ResponderExcluir
  2. E ai Perrone, você já viu o filme "The Tournament"? Eu achei bacana e queria saber sua opinião quanto a ele...

    ResponderExcluir
  3. Blob, ainda não vi esse. Mas vou dar prioridade a ele.

    Herax, só legenda em inglês, por enquanto...

    ResponderExcluir
  4. Eu já vi The Tournament e achei meia-boca (O Intrometido!).

    Bom, estou devendo uma passeada na filmografia do Roberts, recentemente descobri que além de um canastrão gente boa em produções duvidosas ele também já rendeu participações excelentes em produções classe A. Mas me conheço, vou começar vendo ele mandando chumbo nos outros mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Alguém já ouviu uma entrevista de áudio do Vincent Gallo dizendo boatos bizarros sobre o Eric e sua irmã, Julia? hahaha.

    ResponderExcluir
  6. Leandro Caraça22/04/2010 18:44

    Já estava de olho nesse aí. Agora é que vou atrás mesmo.

    Assista "Nos Calcanhares da Máfia", com o Eric Roberts e o Mickey Rourke. É obrigatório.

    ResponderExcluir
  7. Esse eu vi, Leandro. Eric Roberts está excelente!

    ResponderExcluir
  8. Eric Roberts e foda,queria ver um filme um filme q ele fez com o david carradine e o bolo yeung,mas o filme ta engavetado desde 2007,uma pena,e ainda vem os mercenários por ai.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …