27.4.09

Mais dois filmes...

FEMALE YAKUZA TALE - INQUISITION AND TORTURE (Yasagure anego den: sôkatsu rinchi, 1973), de Teruo Ishii


É a sequencia de SEX & FURY, de Norifumi Suzuki, agora com a direção de Teruo Ishii, de THE EXECUTIONER, mas com a mesma Reiko Ike de volta ao papel do filme anterior, mostrando todo talento, graça e beleza (leia-se os atributos físicos que Deus lhe deu). Alguns consideram FEMALE YAKUZA TALE superior, acho que são filmes bem diferentes. O filme de Suzuki é mais denso e sua força parece centrada na trama de vingança e na ação; ambos possuem uma estética carregada, mas este aqui se sai melhor como um exercício visual e muito mais apelativo no quesito “nudez gratuita”.

A começar pelo próprio entrecho, que envolve um bando de traficantes que transporta a mercadoria ilícita colocando-a nos orifícios sexuais de um grupo de moças, que recebem em troca uma dose da droga. Destaque para o grande final quando um exército de mulheres nuas, sob o comando de Oshô (Ike), enfrenta os traficantes. Literalmente uma bela dose de sangreira e mulher pelada! Imperdível!


DJANGO, O BASTARDO (Django il bastardo, 1969), de Sergio Garrone


Mudando totalmente de gênero, assisti a este bom Western Spaghetti estrelado pelo ítalo-brasileiro Anthony Steffen e dirigido por Sergio Garrone, que apesar de ter feitos muitos westerns, realizou também alguns filmes de horror. E DJANGO, O BASTARDO é uma hibrida produção que transita entre o terror e a poeira do velho oeste.

O fato é que durante toda a narrativa, Garrone mostra o protagonista como um fantasma que surge das trevas para se vingar do crime que três sujeitos cometeram há alguns anos, durante a guerra civil. Inclusive os próprios personagens pensam que se trata de uma alma penada. Depois de uma boa quantidade de mortes e uma meia hora final que me lembrou outra mistura de western/terror, E DEUS DISSE A CAIM, do Antonio Margheriti, o filme acaba revelando se Django era realmente de carne e osso ou não. Mas eu não vou contar!

OBS: Uma dica para uma boa leitura, muito mais completa, sobre DJANGO, O BASTARDO, pode ser encontrada aqui.

14 comentários:

  1. DJANGO, O BASTARDO é mesmo muito legal. Obrigado por deixar o link para o meu blog. O Garrone, após este belo filme, se perdeu dirigindo alguns risíveis títulos explorando o filão nazisploitation, sem um pingo da criatividade deste seu spaghetti western.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, eu dei uma checada na filmografia dele e percebi isso... só não sabia que eram risíveis.

    ResponderExcluir
  3. o Garrone tinha umas sacadas bem legais para westerns, procure ver tambem UMA LONGA FILA DE CRUZES; já o filme do Teruo Ishii ainda não vi, mas esse cara foi um dos grandes mestres do exploitation japones

    ResponderExcluir
  4. Valeu a dica, Herax!
    E o Ishii deu pra perceber que o cara é bom apenas com dois filmes vistos...

    ResponderExcluir
  5. Sim, são absolutamente risíveis, mas involuntariamente, é claro. O grande "clássico" nazisploitation trash do Garrone é SS EXPERIMENT CAMP, onde um oficial nazista arranca os testículos de um soldado garanhão para tentar curar a própria impotência. Quando o castrado descobre o plano, solta uma pérola: "Muito bem, seu bastardo, o que você fez com as minhas bolas?". Eu escrevi um mini-dossiê nazisploitation, com estas e outras abobrinhas, neste link: http://www.insolitamaquina.com/cinema04.htm#mguerra

    ResponderExcluir
  6. Fiquei com puta vontade de ver esse do Django. QUE MERDA! Tou cheio de filme pra ver...

    achuo ele aonde ronald?

    ResponderExcluir
  7. Ronald, já viu o Keoma? Já escreveu sobre ele aqui? É bonzão?

    ResponderExcluir
  8. Já vi Keoma há muitos anos. É excelente! Mas não escrevi sobre ele ainda, preciso rever...

    ResponderExcluir
  9. E "Meu Nome é Ninguém"? (as mesmas perguntas, hehe).

    ResponderExcluir
  10. Também vi, acho que no ano passado. É legalzinho e cheguei a comentar bem superficialmente sobre ele em outro blog que eu tinha. =)

    ResponderExcluir
  11. É por causa deste filme que ainda hoje associo a cara de Steffen a Django. A personagem aqui retratada pode até não ser a original mas Sergio Garrone sabe dirigir a coisa.

    ResponderExcluir
  12. Emanuel Neto23/06/10 11:49

    Este filme é uma das melhores adaptações do personagem "Django". Garrone tentou fazer algo mais sobrenatural e até fez um bom trabalho! Pelo menos acertou ao escolher Anthony Steffen como protagonista porque o homem parece mesmo um fantasma!!

    ResponderExcluir