Pular para o conteúdo principal

Anos 60

Dando seguimento aos melhores filmes de cada década, segue, em ordem cronológica e um filme por diretor, os melhores dos anos sessenta, com os cinco preferidos em negrito:

ROCCO E SEUS IRMÃOS (60, Luchino Visconti)
OS OLHOS SEM ROSTO (60, Georges Franju)
PEEPING TOM (60, Michael Powell)
O HOMEM QUE MATOU O FACÍNORA (62, John Ford)
HATARI! (62, Howard Hawks)
O ANO PASSADO EM MARIEMBAD (62, Alain Resnais)
O ANJO EXTERMINADOR (62, Luis Buñuel)
O PROCESSO (62, Orson Welles)
O QUE TERIA ACONTECIDO COM BABY JANE (62, Robert Aldrich)
OS PÁSSAROS (63, alfred Hitchcock)
OITO E MEIO (63, Federico Fellini)
SHOCK CORRIDOR (63, Samuel Fuller)
O DESPREZO (63, Jean Luc Godard)
GATE OF FLESH (64, Seijun Suzuki)
OS REIS DO IÊ IÊ IÊ (64, Richard Lester)
REPULSION (65, Roman Polanski)
OPERAZIONE PAURA (66, Mario Bava)
PERSONA (66, Ingmar Bergman)
BLOW UP (66, Michelangelo Antonioni)
TRÊS HOMENS EM CONFLITO (66, Sergio Leone)
FAHRENHEIT 451 (66, François Truffaut)
POINT BLANK (67, John Boorman)
O SAMURAI (67, Jean Pierre Melville)
THE SHOOTING (67, Monte Hellman)
FACCIA A FACCIA (67, Sergio Sollima)
2001 – UMA ODISSÉIA NO ESPAÇO (68, Stanley Kubrick)
TEOREMA (68, Pier Paolo Pasolini)
ANDREI RUBLEV (69, Andrei Tarkovsky)
A BESTA DEVE MORRER (69, Claude Chabrol)
MEU ÓDIO SERÁ SUA HERANÇA (69, Sam Peckinpah)

Comentários

  1. Esse dos Beatles eu dormi assistindo.

    ResponderExcluir
  2. Grandes filmes, mas preciso ver muitos deles.
    Estou lendo "O Processo" do Kafka e pretendo ver em breve o filme do Orson Welles. Rocco e seus irmãos é excelente, Os pássaros não é meu preferido do Hitch, mas é muito bom também, Oito e Meio foi o primeiro e único filme, até agora, que assisti do Fellini e achei muito bom, Repulsa ao Sexo e Persona verei em breve, Três Homens em Conflito e Meu ódio será sua herança são duas obras-primas do faroeste, 2001 nem precisa falar e Fahrenheit 451 é uma bela adaptação do livro de Ray Bradbury.

    ResponderExcluir
  3. Olha, FARENHEIT 451. Um filme muito bom do Truffaut que já amei mais. Mas vem caindo, principalmente depois que li o livro (e não gostei).

    Vários que não vi, mas a grata surpresa de OS OLHOS SEM ROSTO.

    Por enquanto acho que a década de 60 é a que menso ví longas, acaba recebendo uma certa indiferença de minha parte.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, só filme ruim! (estou sendo ironico, obvio)

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Excelente lista. Estou com Gate of Flesh aqui pra ver. E vou atrás desse do Solima.

    ResponderExcluir
  7. Fahrenheit 451 também caiu para mim na revisão. Mas sou curiosissimo por esse do Chabrol que você citou (sou louco para assistir os que ele dirigiu nos anos 60). E Repulsion é o meu segundo filme preferido do Polanski (o meu predileto também é dos anos sessenta, e que eu quase citei na minha lista, Cul-de-sac...)

    ResponderExcluir
  8. Daniel Dalpizzolo21/10/2008 12:41

    Cul-de-Sac é uma cartilha do humor polanskiano, agora, pra melhor do diretor acho que está bem longe. (Repulsion é o meu preferido mesmo, um dos meus mais queridos filmes).

    E Ronald, você tinha melhores filmes a citar antes deste Truffaut e o Pasolini. Teimoso.

    ResponderExcluir
  9. Daniel Dalpizzolo21/10/2008 12:42

    Facínora eu esqueci. É sério.

    ResponderExcluir
  10. FERNANDES: Pô, o filme dos Beatles é bem legal! E olha que nem precisa ser fã pra gostar.

    FAEU: Precisa ver mais filmes dessa década maravilhosa que é a década de 60. E Fahrenheit é um caso de amor que nem eu consigo entender.

    HERAX: Eu sei que você está sendo irônico, hahah, você tem bom gosto!

    SERGIO: Assista mesmo Sérgio. Suzuki é essencial sempre!

    VLADEMIR: Pena que o Fahrenheit caiu no conceito de muita gente... eu continuo gostando... heheh

    Não vi ainda o Cul-de-sac

    E tente ver o do Chabrol, é muito bom mesmo.

    DANIEL: Você também merece uns tapas por ter esquecido o Facínora! haha

    Teorema eu acho maravilhoso, não vejo nada melhor pra colocar sem repetir diretores.

    O do truffaut é mais um daqueles casos sentimentais subjetivos com um filme... Talvez haja outros filmes pra colocar no lugar, mas na hora, o coração falou mais forte... hahaha

    Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  11. Daniel Dalpizzolo21/10/2008 15:23

    Preciso ver Chabrol também. Não vi nada, e é sério.

    ResponderExcluir
  12. Prefiro Cul-de-sac a Repulsion.

    CADE ERA UMA VEZ NO OESTE NA LISTA!!!!????

    O Pepping Tom do Powell eu achei que ia gostar mais, mas claro que é um otimo filme.

    ResponderExcluir
  13. Heheheh
    É que eu resolvi colocar 1 filme por diretor e do Leone, prefiro Três Homens em Conflito. Mas não precisa se preocupar, Era uma Vez no Oeste é melhor do que a maioria aí!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …