Pular para o conteúdo principal

FAVORITOS DEMENTIA 13 DE 2009

20. A FRONTEIRA DA ALVORADA (Philippe Garrel, 2008): Belíssimo conto filmado em tons granulados de um preto e branco expressivo, sobre um moço (Garrel filho) perturbado pelo fantasma de sua amada.

19. A TROCA (Clint Eastwood, 2008): Não é dos seus melhores, mas mantém o nível de excelência que Clintão vem demonstrando a cada filme. E ainda há uma boa atuação de Angelina Jolie. Do diretor ainda poderíamos ter GRAN TORINO em uma das primeiras posições (esse sim, uma peça grandiosa), mas acabou entrando na minha lista de 2008.

18. GIALLO (Dario Argento, 2009): Argento sem frescuras e sem grandes pretensões, trabalhando os elementos carimbados do suspense policial/serial killer, não podia dar outra: filmaço! As cenas das lembranças do protagonista demonstram que o italiano não perdeu a mão dos tempos áureos de SUSPIRIA ou PROFONDO ROSSO.

17. DISTRITO 9 (Neil Blomkamp, 2009): Fazia um tempinho que não tínhamos uma safra de ficção científica levada a sério. Dentre os vários bons exemplares do gênero, este aqui foi o que mais me impressionou, seja nas atuações, na estória simples, mas criativa, seja no uso de efeitos especiais.

16. BAD LIEUTENANT: PORT OF CALL – NEW ORLEANS (Werner Herzog, 2009): Bem diferente do original, de Abel Ferrara, Herzog manda muito bem neste retrato de personagem, com um Nicholas Cage inspiradíssimo, interpretando o policial politicamente incorreto, sujo, estuprador, viciado em drogas e em jogos, etc...

15. THIRST (Chan Wook Park, 2009): O diretor de OLDBOY está de volta e traz consigo uma releitura de filmes de vampiro muito interessante, com um padre chupador de sangue com peso na consciência e um humor negro pra lá de perspicaz. Viva Chan Wook Park!

14. ERVAS DANINHAS (Alain Resnais, 2009): É o que acontece quando um senhor já de idade avançada, um autêntico mestre consagrado mundialmente, que já deu contribuições significativas que mexeram nas estruturas da sétima arte e ainda continua brincando de fazer cinema, sem qualquer tipo de pretensão e com uma liberdade criativa que coloca a grande maioria dos cineastas atuais no chinelo.

13. MARTYRS (Pascal Laugier, 2008): Uma das grandes porradas do ano. Já nos primeiros momentos, Laugier faz uma boa apresentação de como estragar o café da manhã da burguesia francesa. Alta dose de violência extrema garante o choque visual e no fundo, tudo é justificado por conta da ótima estória.

12. TOKYO SONATA (Kiyoshi Kurosawa, 2008): Não existe muita diferença entre os filmes de terror habituais do diretor com este drama familiar cujo resultado talvez seja até mais assustador.

11. ARRASTA-ME PARA O INFERNO (Sam Raimi, 2009): O melhor trabalho de Raimi desde ARMY OF DARKNESS. O diretor precisou se desgrudar do Cabeça de Teia e voltar às suas origens para que isso fosse possível. Mas valeu a pena, pois temos aqui terror de primeira qualidade com todos os exageros típicos de Raimi. Nem os efeitos em CGI conseguiram atrapalhar a diversão.

10. ONDE VIVEM OS MONSTROS (Spike Jonze, 2009): Muita gente malha Spike Jonze, mas eu gosto do seu trabalho. Raro caso de estilo de direção “videoclíptico” que não vira palhaçada. O filme conta a estória de um menino comum que sai de casa, fantasia um mundo mágico em sua cabeça, com criaturas estranhas e cheio de aventuras, e depois volta pra casa. Me fez lembrar de algumas coisas boas de ser criança...

09. VINYAN (Fabrice du Welz, 2008): Prova que Welz não era fogo de palha e o talento apresentado em CALVAIRE amadurece ainda mais neste verdadeiro pesadelo filmado. Belo e perturbador.

08. GUERRA AO TERROR (Kathryn Bigelow, 2008): A rotina de oficiais do exército americano tendo a guerra do Iraque como cenário sob uma visão feminina. O melhor filme sobre o tema.

07. O LUTADOR (Darren Aronofsky, 2008): A direção de Aronofsky melhorou bastante ao longo de sua filmografia, mas quem carrega o filme nas costas é Mickey Rourke com uma interpretação magnífica. Filme sensível, poético, ao mesmo tempo grosso, violento e com um dos finais mais legais do ano.

06. VENGEANCE (Johnnie To, 2009): Inicialmente escrito para Alain Delon, o papel principal acabou nas mãos de Johnnie Halliday, que não está nada mal. O que importa mesmo é que Johnnie To continua com mão firme para comandar suas coreografias de ação regadas a chumbo grosso!

05. ANTICRISTO (Lars Von Trier, 2009): O diretor de OS IDIOTAS realizando um filme de terror só poderia dar numa das experiências mais intensas e assustadoras do ano. É provável que seja o melhor filme de Lars Von Trier.

04. TETRO (Francis Ford Coppola, 2009): Já estava começando a duvidar que o diretor fosse capaz de realizar um trabalho do nível de seus filmes mais aclamados. TETRO é visualmente impecável e o tema familiar é tratado com muita sensibilidade. Coppola finalmente está de volta!

03. AMANTES (James Gray, 2008): Personagens fortes, situações simples, mas profundas, uma pequena, e genial, demonstração que comprova porque James Gray está entre os melhores diretores da atualidade.

02. INIMIGOS PÚBLICOS (Michael Mann, 2009): Difícil colocar esta maravilha atrás de algum outro, mas depois de muito pensar, ficou em segundo com um aperto no coração. O filme possui algumas das cenas mais impressionantes do ano, como o tiroteio na floresta ou o “bye-bye blackbird” que encerra o filme. Genial.

01. BASTARDOS INGLÓRIOS (Quentin Tarantino, 2009): Está aí. Bem óbvio, mas não teve outro jeito. É simplesmente a obra prima de um diretor que NUNCA me decepcionou. Tarantino está no auge e basta a sequência inicial ou qualquer momento com Christoph Waltz em cena para perceber que estamos diante de um dos grandes filmes da década.

E é isso aí, pessoal. Alguns outros filmes que talvez merecessem um lugar na lista eu ainda não vi, como VINCERE, MOTHER, ADAM RESURRECTED, BRONSON e outros. Como vocês sabem, não sou muito ligado aos filmes novos e não assisto nem a metade que um cinéfilo normal assiste numa sala de cinema. Minha prioridade é com os clássicos obscuros a serem redescobertos.

Enfim, o DEMENTIA 13 retorna de seu pequeno descanso. Que em 2010 tenhamos um ótimo nível de filmes estreando nas salas de cinema. E se não tivermos, estaremos sempre descobrindo ou redescobrindo alguma preciosidade obscura esquecida por aí.

É provável que no próximo post eu traga os meus 20 melhores filmes da década.

Comentários

  1. Ta bem boa a lista hein.... mas esse MARTYRS eu achei bem fraco, tinha tudo pra ser otimo até mudar o filme, coisa ridicula.

    ResponderExcluir
  2. Daniel de Paola05/01/2010 10:28

    Faltou Watchmen

    ResponderExcluir
  3. Preciso ver o ERVAS DANINHAS! Martyrs, Miami Vice, Anticristo, Thirst, Giallo e The Hurt Locker não entraram na minha lista pois achei todos eles apenas bons, e não excelentes ou maravilhosos.

    ResponderExcluir
  4. Paranoid I Android05/01/2010 15:05

    A lista está excelente, muito boa mesmo Ronald, parabêns, alguns eu não conhecia e já estou procurando, valeu.

    ResponderExcluir
  5. Onde assistiu Ervas Daninhas, Ronald? Demais, é uma ótima lista, estou louco também para ver esse novo do Coppola.

    ResponderExcluir
  6. Lista personalizada quanto baste, mas comungo com algumas das tuas escolhas. Venha daí essa lista da década!

    ResponderExcluir
  7. Vlademir, assisti ERVAS DANINHAS no cinema quando estava em BH...

    ResponderExcluir
  8. Pra lista de década espere pelo término de 2010.

    ResponderExcluir
  9. Mas é que eu considero a década começando em 2000 e terminando em 2009... 10 anos. os filmes de 2010 vão fazer parte da década seguinte, que vai até 2019, sacou? :)

    ResponderExcluir
  10. Ronald, Vincere e Mother merecem sim estar na lista. Sua lista é excelente apenas realmente não gostei de Giallo, vi... revi e revi de novo (sério mesmo rsrs) e não consegui gostar.

    A minha humilde lista dividi em filmes de 2009 e filmes que vi pela primeira vez em 2009. Muitos titulos bateram.

    Abraço !

    ResponderExcluir
  11. Mother é ainda melhor que Thirst.
    E Bronson é muito bom também.

    ResponderExcluir
  12. Já Vinyan e Giallo mereciam estar na lista dos piores do ano, na minha opinião.

    ResponderExcluir
  13. Sua opiniãUM vale nada, NEMÉM!!1

    ResponderExcluir
  14. Eh, Perrone, pra mim foi surpresa voce listar Ervas Daninhas! Legal!! Agora, será que esse ano sai o novo do Carpentão? Êta parto difícil, sô! Agora, sinceramente, o filme que promete é o novo do Scorsese, o que acha? Livro de Lehane, loucura, violência, claustrofobia... Que outras estréias promissoras teremos mais? Ah, claro, A Alice do Tim Burton!! Abração e feliz 2010, amigo!

    ResponderExcluir
  15. Ervas Daninhas é um belo filme, Ronnie, não tinha como não entrar.

    Os filmes do Scorsese sempre são atrativos pra mim, acho que é o filme mais aguardado de 2010, na minha opinião.

    Depois eu faço uma listinha com alguams coisas que serão lançadas em 2010 pra ficarmos de olho.

    Grande Abraço e feliz 2010 pra você também! :)

    ResponderExcluir
  16. Daniel, Watchmen eu achei bem bacana, mas os que eu listei eu gosto mais... hehe

    Quem sabe num top 50 de 2009?

    ResponderExcluir
  17. Giallo!?!??!

    E Coppola parece que acertou depois de muito tempo.

    ResponderExcluir
  18. Giallo sim, claro!

    E o filme do Coppola é belíssimo!

    ResponderExcluir
  19. Giallo também estaria em um top 20 do ano meu.

    ResponderExcluir
  20. Não é por você ser meu amigo, Ronald... mas a sua lista foi a que eu mais simpatizei hehe.

    O que eu vi de muito bom em 2009 foi em maior parte de 2008. Acho que nem rola um top 20 :P

    ResponderExcluir
  21. Nossa, Bad Lieutenant deve ser uma das melhores refilmagens já existentes. Apesar de vc não considerar refilmagem, hehe. Top 10.

    ResponderExcluir
  22. Ronald, sobre o lance da década que eu comentei, é porque alguns filmes de 2009 você só verá esse ano, como por exemplo o INVICTUS do Eastwood, entre tantos outros.

    ResponderExcluir
  23. Ah, sim. Entendi... é que o Leandro, por exemplo, considera a década a partir de 2001 (até 2010).

    Mas listas são sempre refeitas, repensadas, então os filmes de 2009 que verei este ano podem entrar numa dessas reformulações.

    E Invictus eu vi. É bem bom.

    ResponderExcluir
  24. Porra, todo mundo já viu Invictus, menos eu... Já tá passando no cinema???

    ResponderExcluir
  25. Leandro Caraça08/01/2010 21:16

    O pessoal já tá baixando. Também deve ter rolado uma cabine para a imprensa e os parasitas.

    ResponderExcluir
  26. "Argento sem frescuras e sem grandes pretensões, trabalhando os elementos carimbados do suspense policial/serial killer, não podia dar outra: filmaço!"

    O Argento poderia dar umas aulas pro De Palma nesse quesito, apesar de q vc provavelmente vai discordar.

    ResponderExcluir
  27. "Ah, sim. Entendi... é que o Leandro, por exemplo, considera a década a partir de 2001 (até 2010). "

    Já eu considero a década de 2000 até 2010. Sei lá se tá certo, mas...

    ResponderExcluir
  28. "O Argento poderia dar umas aulas pro De Palma nesse quesito, apesar de q vc provavelmente vai discordar."

    provavelmente não, com toda certeza vou discordar! hehe

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …