Pular para o conteúdo principal

ROSSO SANGUE (1981)



aka ABSURD; HORRIBLE; MONSTER HUNTER; ANTROPOPHAGUS 2; ZOMBIE 6
direção: Joe D'Amato
roteiro: George Eastman

Depois da “apresentação” que fiz há alguns posts sobre o diretor Joe D’amato, finalmente vamos tratar de um filme dirigido por ele. Dos mais de 190 filmes que o sujeito realizou, Absurd não faz parte daquela listinha de 10 a 15 filmes de boa categoria que o diretor conseguiu realizar ao longo de sua extensa carreira. Ou seja, Absurd é lixo dos brabos, feito às pressas, provavelmente ao mesmo tempo com outra produção, roteiro risível e atores que parecem nem saber que tipo de filme estavam fazendo, ou seja, diversão garantida!

Antes de entrar no filme, um curioso fato desta produção é o número de títulos que recebeu pelo mundo afora. Dependendo do lugar e dos cortes da censura, o título mudava drasticamente. Absurd é o que eu mais gosto, mas também tem Rosso Sangue, Horrible, Zombie 6 (!) e até mesmo Antropophagus 2, com a picaretagem de tentar relacioná-lo com a história do canibal grego do filme Antropophagus que D’Amato dirigira 2 anos antes.

Enfim, esses italianos são demais! O roteiro de Absurd é de Luigi Montefiore. Para quem não sabe, é o nome verdadeiro de George Eastman, ator fetiche de D’Amato. Aqui ele interpreta também um grego (aí está a relação com o Antropophagus) que aparece logo na primeira seqüência fugindo de um padre (Edmund Purdom). Após tentar pular a cerca de uma mansão, acaba com a barriga perfurada pela ponta de uma lança da cerca e caminha para dentro da mansão com as tripas pra fora.

O sujeito vai parar no hospital e logo descobrimos que ele é praticamente imortal. Suas células se regeneram numa velocidade surpreendente. Sabemos um pouco do seu passado através do padre que veio da Grécia atrás do sujeito que desapareceu no mar europeu e foi parar lá no Estados Unidos! Calma, não procure entender os porquês, esse tipo de rombo tem aos montes no decorrer do filme. O fato é que o sujeito acorda de uma hora pra outra e por onde passa deixa um rastro de sangue.

George Eastman foi um dos atores mais subestimados do cinema italiano. Em qualquer produção que estivesse sua presença era marcante (e não é só por causa da altura!), até mesmo numa tralha como esta aqui sua atuação surpreende. Em termos de técnica, seu trabalho está acima do próprio filme em que participa. Suas expressões completamente insanas funcionam principalmente quando a violência rola solta e nisso não temos do que reclamar em Absurd.

Até que a atmosfera de suspense não é tão ruim com a fotografia do próprio D’Amato creditado com seu nome verdadeiro: Aristide Massaccesi. Mas a trilha sonora não ajuda em nada! Enche o saco e chega uma hora que fica irritante, apesar do filme possuir várias seqüências antológicas que proporcionam um impacto visual de violência extrema que agradam os fãs tranquilamente, como na cena em que Eastman ataca uma enfermeira perfurando sua cabeça com uma furadeira cirúrgica, ou quando um pobre açougueiro perde o escalpo com uma serra de cortar carne e claro, a seqüência onde o louco varrido coloca uma mulher dentro do fogão para assá-la viva!

O roteiro sem sentido e pobre resume-se apenas na proposta de D’Amato e Eastman em juntar algumas idéias sádicas e de violência com o objetivo de divertir seus fãs. Tenho a certeza que nas mãos de um diretor mais cuidadoso e um roteirista profissional, Absurd renderia um filme com um acabamento muito superior e uma narrativa com um sentido coeso dentro do possível, mas perderia toda a vulgaridade da direção de D’Amato que possui um charme singular. A cena final com a menina ensangüentada segurando a cabeça é pra entrar para a história do cinema de horror europeu.

Comentários

  1. Infelizmente, não vi nenhum dos filmes do diretor, onde ele se concentra mais no gore. Só vi um filme dele, pornô, que nem lembro mais o nome hehehe

    ResponderExcluir
  2. Esse filme deve ser absurdo hehehe!

    ResponderExcluir
  3. uau... onde você consegue isso?!

    inverno de sangue, rosso sangue....

    ResponderExcluir
  4. Joe D'Amato era doido! Ja te falei isso, pare de ver esses filmes....

    Nao vou falar de novo!

    ResponderExcluir
  5. Esse Carranca pega no seu pé, hein Ronald? hehehe!!!

    ResponderExcluir
  6. Porra, ronald, flou do final!
    hehehehehe

    ResponderExcluir
  7. Pois é, Sérgio. Ele faz justiça ao nome que carrega.

    Haha, Kevin, a diversão é garantida independente disso... heheh

    ResponderExcluir
  8. Pierre Willemin06/10/2008 22:23

    Eu tenho curiosidade de ver o Antropophagus dele, só por causa da famigerada cena do feto - rsrs - que chegou a resultar na proibição da fita em diversos países. Deve ser um lixo típico de Halloween ou sextas-feiras 13 - hehe

    ResponderExcluir
  9. Deve ser mesmo... eu até tenho Antropophagus aqui. Vou ver uma hora dessas pra poder escrever alguma coisa. =)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …