3.7.10

UNDISPUTED III: RENDEMPTION (2010), de Isaac Florentine

Faz pouco tempo que fiz uma boa sessão dupla com os dois primeiros filmes da série UNDISPUTED, que chega agora ao seu terceiro capítulo e foi a única coisa que consegui arranjar tempo para ver esta semana! Mas até que valeu a pena.

Relembrando os anteriores, o primeiro era um filme mais sério, dirigido pelo mestre Walter Hill, focado no drama dos dois lutadores, Wesley Snipes e Ving Rhames, numa penitenciária americana. O segundo se passa numa prisão russa e é um pouco mais voltado à ação, dirigido por Isaac Florentine, com Michael Jai White encarnando o papel que pertencia ao Ving no primeiro e a presença de Scott Adkins como vilão, sempre presente nos filmes do diretor.

UNDISPUTED III: RENDEMPTION traz novamente Scott Adkins, desta vez como protagonista, o que não quer dizer que o sujeito tenha amaciado e ficado bonzinho, reprisando o seu Yuri Boyka, lutador russo que foi estraçalhado ao final do segundo filme por Jai White. Mas até que há uma leve mudança de comportamento no personagem para o lado bom, ainda que mentanha o mesmo discurso de se considerar o lutador mais completo do mundo e quer provar isso de qualquer maneira.

Florentine assume novamente a direção e realiza esta terceira parte com mais ênfase na ação que o primeiro e o segundo filme juntos! Adoro o trabalho que ele faz atualmente dentro do cinema independente de ação lançado diretamente no mercado de DVD. São sempre inspirados, violentos e divertem o espectador mais exigente e que curte uma boa pancadaria. Foi assim com THE SHEPHERD, NINJA, UNDISPUTED 2 e agora com este aqui. Preciso ver algumas coisas mais antigas dele, porque é um sujeito pra lá de talentoso que filma cenas de luta com muita desenvoltura (especialmente quando se junta com Adkins, que faz de seus movimentos em sequencias de lutas, um verdadeiro espetáculo), já entrou na minha lista de diretores de ação atual que devem ser obrigatoriamente seguidos!

A trama de UNDISPUTED III se desenrola algum tempo depois do segundo. Boyka tenta recuperar seu prestígio de grande lutador, mesmo com seqüelas deixadas em sua última luta. Após demonstrar que está plenamente de volta, acaba entrando num torneio de luta entre prisões que envolve lutadores encarceirados do mundo inteiro. O vencedor ganha o direito à liberdade... só em filme mesmo... Os bastidores do torneio também é bem explorado, cheio de intrigas, sujeiras entre os realizadores, uma roubalheira descarada!

O mais legal deste filme é o resgate nostálgico feito por Florentine, remetendo algumas característica às fitas de lutas que faziam a alegria da moçada nas décadas de 1980 e 1990, a febre dos kickboxer movies, principalmente as produções estreladas pelo Van Damme, como O GRANDE DRAGÃO BRANCO, LEÃO BRANCO e DESAFIO MORTAL, que passavam exaustivamente na TV. São vários pontos bem clichês, personagens estereotipados, mas deixa sempre aquele charme nostálgico fazer efeito sobre os fãs…

3 comentários:

  1. No caso do Florentine, cada vez mais estou tendo certeza que trata-se de um fã fazendo filmes para outros fãs.

    ResponderExcluir
  2. Filmão. Virada final cheia de possibilidades pra sequências. Legal também é que a luta entre Adkins e o brasileiro foi bem digna pro segundo!

    ResponderExcluir

MUDANÇA DE CASA

Depois de um feedback por aqui e na página do Dementia¹³ no facebook , resolvi tomar mesmo a decisão de fechar as portas por aqui e me muda...