Pular para o conteúdo principal

ACTION JACKSON (1988), de Craig R. Baxley

Esta semana tive o prazer de rever este CLÁSSICO do cinema de ação policial, truculento até o talo, realizado em pleno calor dos anos 80!!! E um filme que possui a palavra “action” no título tem mais que a obrigação de alegrar o coração dos pobres infelizes que curtem esse tipo de produção, como é o meu caso... e ACTION JACKSON está longe de decepcionar!

E pra quem aprecia frases badass de efeito então, será agraciado com um bônus. O roteirista Robert Reneau desenvolveu uma trama simples, que não possui nada que já não tenhamos visto antes, mas em compensação, estava inspiradíssimo quando criou situações recheadas de taglines de rachar o bico! Logo no início, por exemplo, dois policiais prendem um trombadinha e, enquanto o levam para delegacia, descrevem Jericho “Action” Jackson, o sujeito mais casca grossa da polícia de Detroit, para amedrontar o pobre rapaz:

- Hey man, what's gon' happen to me?
- Oh, nothing. Uh, wel-nothing much, uh... you might have to endure a little session with, uh, Action Jackson.
- Wh-who's Axon...?
- “Action”, “Action” Jackson.
- Yeah, some say he didn't even have a mother. That some researchers at NASA created him to be the first man to walk on the moon without a space suit.
- Others say his mother was molested by Bigfoot and, uh, Jackson is their mutant offspring.
- They bring in Jackson when they want to re-educate some young ne'er-do-well such as yourself, Albert.
- Yeah, I remember one kid got re-educated so bad, his testicles climbed back up into his belly. Wouldn't come out.
- They called it a medical miracle.
- Yeah. Another kid, handcuffed to a chair; gnawed his own hand off like a trapped skunk, or wolverine, or somethin'.

GENIAL!!! ACTION JACKSON bate recordes em frases como essas! Algumas são tão ridículas que chegam a desconcertar o espectador.

Mas quem é o tal "Action" Jackson? A honra de encarnar o protagonista foi concedida ao ator Carl Weathers, o Apollo de ROCKY. Em seus primeiros momentos, percebe-se que o sujeito tem um histórico tremendo como policial. Uma fama desgraçada de tira durão e que faz a bandidagem tremer nas calças. Ficamos sabendo logo de cara que Jackson foi rebaixado recentemente de Tenente à sargento. Por que? Porque ele cortou fora a mão de um pedófilo!!! E ainda deu a desculpa de que “o sujeito tinha outra mão de reserva”. Estamos diante da truculência em pessoa.

É como se ACTION JACKSON fosse continuação de um primeiro filme que não existe. O tal bandido que perdeu a mão, na verdade, nem aparece, mas seu pai, vivido por Craig T. Nelson, assume o posto de vilão da estória. E nós já sabemos subitamente que ele é o bandidão, pois ele possui ninguém menos que Al Leong como motorista de sua limosine.

A trama, como já disse, é a básica dos filmes de ação oitentista. “Action” Jackson suspeita que quem está eliminando os chefes dos sindicatos é o poderoso Nelson. Então começa a investigar, acaba se metendo onde não deve, envolve-se com a esposa do bandido, depois com sua amante, cai numa tramóia e vira suspeito de assassinato, precisa agora pegar o bandido e ainda por cima provar que não cometeu crime algum, etc, etc... uma coisa linda!

Mas o que conta mesmo são as situações criadas pelo roteiro. A primeira cena de ação que acontece pra valer envolvendo Jackson, creio eu que seja a primeira perseguição de carro em alta velocidade com o herói correndo a pé!!! Vejam bem, não é como OPERAÇÃO FRANÇA II, onde Gene Hackman corre atrás do vilão, bufando, persistindo e, por sorte, consegue atingir uma bala na testa de Fernando Rey que já estava se sentindo seguro dentro de um barco. Aqui, Jackson corre alguns quarteirões perseguindo um táxi, mas lado a lado com ele, em alta velocidade!!! E mais, ainda na mesma velocidade, ele consegue pegar impulso e pular no teto do veículo em movimento. Eu já virei fã!

Em uma cena mais adiante, após ser acorrentado e quase cremado vivo, Jackson consegue se libertar, troca tiro com os bandidos, mas antes de fazer um deles de churrasco, questiona: “Como prefere suas costelas?!?!” Sensacional! No climax do filme, numa festa na mansão do vilão, "Action" precisa agir logo para chegar no quarto de Nelson, onde ele pretende matar sua amante. O nosso herói não pensa duas vezes quando vê um dos carros fabricado pelas empresas de Nelson. O sujeito entra no carro, invade a casa (!), sobe as ESCADAS (!!), percorre o estreito corredor do segundo andar (!!!) e adentra o quarto de carro e tudo!!! Acho que nunca teremos na vida, outra cena como essa num filme.

Logo em seguida, Jackson parte no mano a mano com o vilão. E o páreo é duro! Mas tudo bem. Uma cena antes mostra que Nelson é praticante de artes marciais, e dos bons! Mas ninguém consegue é tirar os olhos do carro estacionado ao lado da cama...

Craig T. Nelson faz um ótimo vilão. Desprezível e arrogante e muito convincente. Todo o elenco é excelente, na verdade. Carl Weathers nasceu para o papel de "Action" Jackson! Ainda temos uma boa Sharon Stone; Robert Davi arrebentando em sua pequena participação; Bill Duke fazendo o chefe de polícia; e temos a cantora Vanity, belíssima e muito sexy, mas bem chata também. Ela contribui bastante soltando com demasiada frequência várias frases de efeitos escritos especialmente pra ela.

Ainda não falei de Craig R. Baxley, que fazia aqui sua estréia como diretor de cinema. Havia realizado apenas alguns episódios de ESQUADRÃO CLASSE A. Baxley era dublê, deve ter conhecido Weathers nos sets de PREDADOR, onde trabalhou. Mas parece que sua carreira atrás das câmeras não foi muito pra frente no cinema, embora tenha realizado STONE COLD, que em breve receberá alguns comentários por aqui. Desconheço sua carreira dirigindo séries, que é o que faz atualmente. Mas bem que ele podia estar fazendo mais uns filmes B de ação no estilo de ACTION JACKSON!



Comentários

  1. Mr. Odyssey23/07/2010 08:17

    Não fazem mais filmes como nos anos 80...
    Vou procurar esse filme, excelente recomendação.

    ResponderExcluir
  2. Esse filme é foda!!! Clássico de locadora.

    ResponderExcluir
  3. Filmão, tambem sou fan de Action Jackson!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …