Pular para o conteúdo principal

A CENTOPÉIA HUMANA (The Human Centipede, 2009), de Tom Six

Gostando ou não, temos que admitir que seria preciso ter estômago (além de ser muito chato) pra ficar indiferente diante de A CENTOPÉIA HUMANA, filme que arregalou alguns olhares em suas exibições e levantou muita discussão trazendo um dos conceitos mais perturbadores que eu vi nos último anos: três pessoas são sequestradas por um médico maluco que realiza um experimento que consiste em interligar as três cobaias num único sistema digestivo.

A estória surgiu de uma idéia boba do diretor Tom Six, que dizia para seus amigos, enquanto assistiam TV  sempre que passava alguma reportagem sobre pedofilia, que as autoridades deveriam fazer o sujeito comer as fezes de um motorista de caminhão bem gordo como punição. Six sabia que isso poderia servir de base para um enredo de filme de terror e foi amadurecendo a idéia até chegar no resultado que foi visto na tela. Consultou até um médico cirurgião holandês que só aceitou ajudá-lo nos detalhes medicinais porque era fã de cinema (os desenhos do médico foram até utilizados no próprio filme, na cena em que o Dr. Heiter explica os procedimentos da sua operação).

Apesar da idéia ser realmente doentia e de revirar o estômago, e não faltam situações grotescas por conta disso, o resultado final não é tão subversivo assim. Visualmente, o filme é bem light e limpinho. Tá certo que chocar por chocar eu dispenso, mas A CENTOPÉIA HUMANA até teria um ótimo motivo, principalmente porque eu adoro um bom gore! O filme tem algumas falhas comuns do cinema de terror atual, mas gostei do jeito que ficou, embora não deixe de imaginar o que teria saído nas mãos de um diretor italiano no início dos anos 80, como um Joe D’Amato ou Lucio Fulci. Ou do alemão Jorg Buttgereit e o japonês Takashi Miike em seus dias de inspiração… haja estômago!

Algo que indiscutivelmente me agrada bastante é a presença do ator alemão Dieter Laser, que encarnou no Dr. Heiter, o médico maluco da trama, com muita força e expressividade. Um dos personagens mais bizarros e assustadores do horror moderno. O resto do elenco está bem, principalmente aos atores que fazem as três vítimas. É preciso uma certa coragem para submeter-se a papéis como estes. Cheguei a ler que várias pessoas que apareciam para os teste de escolha de elenco abandonaram o local quando tomavam conhecimento do que se tratava...

A CENTOPÉIA HUMANA foi pensado como um filme de dois volumes. A segunda parte está prevista para 2011. Tom Six não revela nada do que teremos a seguir, mas estarei esperando por mais uma dose dessa sandice toda.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …