10.8.13

JOGO SUJO, aka The Stone Killer (1973)


Charles Bronson e o diretor Michael Winner fizeram seis filmes juntos. Incluindo os três primeiros exemplares da série DESEJO DE MATAR. Não vi RENEGADO IMPIEDOSO, mas THE MECHANIC ainda é o meu favorito dessa parceria, embora tenha assistido hoje a JOGO SUJO, um belo filme policial, e notado que o páreo é duríssimo. Este aqui briga fácil lá em cima entre as primeiras posições.


Bronson é Lou Torrey, um policial eficiente, mas que possui certas manias no seu modo de cumprir o dever que não tem agradado muito seus superiores. Por exemplo, o filme começa quando ele é transferido para outra cidade, de Nova York para Los Angeles, apenas porque atirou para matar num jovem ladrão de dezessete anos. É claro que o meliante estava armado e pondo em risco a vida do herói, mesmo assim, causou mal estar na força policial.

Há um diálogo genial que esclarece bem o ponto de vista do protagonista. Quando questionado por conta da idade do defunto, Torrey responde algo mais ou menos como “a arma em punho lhe deu a maior idade...


Em Los Angeles começa a trabalhar com algo pequeno. No entanto, a apreensão de um simples traficante de drogas acaba por revelar um profundo e complexo esquema de assassinatos, que envolve a máfia italiana, cujo chefão (vivido por Martin Balsan) planeja vingança pra cima dos responsáveis pelo massacre de sua família, ocorrido há trinta anos. E para isso contrata um exército de ex-soldados da Guerra da Coreia e Vietnã...


Sim, é tão bom quanto parece. JOGO SUJO lembra um pouco os polizieschi, só que filmado nos Estados Unidos, obviamente, e com o estilo áspero de Winner, utilizando locações reais e câmera na mão em alguns momentos. As cenas de ação são bem classudas e brutais, mas isso é o habitual vindo do diretor que temos aqui. A sequência na qual um grupo de mercenários invade um escritório cheio de mafiosos é um espetáculo, uma ode à violência cinematográfica. Há também uma perseguição de carros e alguns outros tiroteios que estão entre as melhores que eu já vi da parceria Bronson-Winner.


E por falar em Bronson, o sujeito está sensacional num personagem muito rico, cínico, inteligente e dramático - como na cena em que defronta o famoso quadro de Goya, no qual Saturno devora o próprio filho - mas que sabe também tratar a bandidagem da maneira que merece. Ou seja, torturando e matando a sangue frio. Bah, me chamem de reacionário, mas no cinema isso é bom demais! Especialmente num exemplar de classe e sem frescura como JOGO SUJO.

3 comentários:

  1. " Bah, me chamem de reacionário, mas no cinema isso é bom demais!"
    Isso me lembra dos já citados polizieschi, que geralmente eram acusados de reacionários, fascistas e não me lembro mais o quê, mas, curiosamente, os diretores em geral desses filmes, vide Corbucci e Damiani, por exemplo, eram comunistas de carterinha!

    ResponderExcluir
  2. Spektro 7211/08/13 18:46

    este filme do Charles Bronson é um ótimo policial passou muito no ' DOMINGO MAIOR "da TV GLOBO entre a década de 80 e 90,alias todo o domingo passava um filme dele.Pena que os tempos são outros e filmes bons como esse ficam só na nossa memoria,bom post,valeu !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigos, adorei esse blog, ainda mais contendo matérias sobre esse filme, que adoro. Gente, Eu estou atrás, a tempo, e não consigo legendas em português para esse filme, pois a que tenho é em inglês e é um inferno para traduzir, as falas são muito complicadas e não consegui sequer interpretar. Se alguém souber onde posso encontrar uma legenda em Português - pode ser de Portugal mesmo - eu fico eternamente grato. Grande abraço a todos, parabéns pelo Blog. Charles Bronson forever !!

      Excluir