Pular para o conteúdo principal

TC 2000 (1993)

Após um período atribluado neste início de ano (que agora vai melhorando, ou pelo menos vou aceitando melhor a situação), aos poucos vou tentar retomar as atualizações com uma certa frequência por aqui. E para recomeçar com o pé direito (ou esquerdo, dependendo do gosto de cada um), vamos de um inspirado action B movie dos anos noventa estrelado por uma turminha da pesada, como dizia a narração da Sessão da Tarde! Aliás, resolveram chutar o pau da barraca com este TC 2000 escalando um elenco que é a essência do cinema B de ação daquele período! Billy Blanks, Bolo Yeung, Jalal Merhi e Matthias Hues num mesmo filme!!!

Imagem roubada do blog Bonga Shimbun!, do amigo Bruno Martino
TC 2000 copia na cara dura vários elementos já vistos em diversos filmes de ação e ficção cientítifica. Com a diferença de que os filmes copiados não possuem estas quatro figuras simpáticas trocando desaforos a cada 5 minutos! Billy Blanks e Matthias Hues, por exemplo, caem na porrada com menos de 15 minutos de projeção! Não tem como não se emocionar…

O ano é 2020. Uma catástrofe natural fez com que a parcela rica da população fosse viver nos subterrâneos, enquanto o restante da população, na superfície, mastiga o pão que o diabo amassou. Tirando esse pano de fundo, o que sobra para a trama é algo muito complexo, inteligente e difícil de acompanhar… sim, estou sendo irônico! Na verdade, é uma baita confusão, cheia de personagens e situações que só servem mesmo para criar ação e pancadaria a todo instante. Billy Blanks é um TC 2000, espécie de policial que faz a proteção contra os invasores da superfície, Jalal Merhi é o lider de uma gangue da superfície que tenta invadir o subterrâneo, Matthias Hues também é um TC 2000, mas é óbvio que não está do lado do bem e não vai com a cara do Blanks, e Bolo Yeung é um famoso lutador que vive na superfície e une forças com Blanks para derrotar os malvados… e por aí vai.

A trama mesmo não importa, o que vale é a truculência, e isso TC 2000 tem de sobra, com direito à frases de efeitos e certos descuidos que deixa o filme ainda mais divertido, como por exemplo um capanga da gangue de Merhi, cuja habilidade principal é o manejo com uma faca que fica rodando na mão. O cara morre no início do filme, mas parece que se esqueceram disso, e pouco tempo depois estava ele de novo rodando aquela faca pra cima do Bolo Yeung. As sequências de lutas não são de encher os olhos, mas até que para o tipo de filme, dá pro gasto! O mais esperado duelo da bagaça, Bolo Yeung contra Matthias Hues, no gran finale, poderia ser melhor, mas já é algo histórico para os fanáticos do gênero. Mas é Blanks quem rouba as cenas de luta, até mesmo quando confronta um simples meliante. O sujeito sabe fazer o seu espetáculo de chutes na cara. Já Merhi faz lá sua graça. A direção é por conta de um tal de T. J. Scott e não é ruim, embora tente uns movimentos de câmera desnecessários nas cenas de ação.

TC 2000 foi lançado em VHS no Brasil com esse mesmo título e nem preciso dizer que só é recomendável para os iniciados em tralhas desse tipo, né? O filme, na verdade, é uma porcaria se levado à sério, com grave risco do sujeito terminar a sessão com uma úlcera no estômago.

Comentários

  1. Cara, aqui no meu bairro tinha uma locadora - lembra quando elas ainda existiam? -, e não me esqueço da capa do VHS desse filme. Achava muito bizarro o Billy Blanks na capa, com esse óculos, cabelo e visual... nunca tive coragem de alugar, mas hoje, quem sabe... hauhauhauha

    ResponderExcluir
  2. Não vi TC 2000, mas assisti a muito filme com essa rapaziada. Eles bem que poderiam fazer uma versão B dos mercenários! Juntavam os quatro, mais o Loren Avedon, o Don "the dragon" Wilson, a Cinthia Rothrock e mais uns ícones da década de 90 que me fogem o nome agora.

    Cultura na web:
    http://culturaexmachina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Curioso como, apesar do "grande elenco", a capa insinua que é um Blanks solo. Será que a moral dele tava alta assim na época?

    Em tempo, ótimo resgate! Isso é um clássico de locadora... Top Tape, se não me falha a memória.

    ResponderExcluir
  4. ROBERTO: Não sei ainda porque não fizeram um rip off de Os Mercenários com os astros do cinema B...

    DOGGMA: Dentro desse gênero, no cinema de baixo orçamento, o Blanks tinha moral sim!

    ResponderExcluir
  5. preciso ver mais dessas parcerias aê, o Garras de Aguia já tá na minha lista pra assistir.

    ResponderExcluir
  6. Alguem sabe Onde Encontrar esse Filme TC 2000 Dublado Para Baixar ....
    Gostaria de Ter ele na minha coleção, se alguém Puder ajudar eu agradeço.

    ResponderExcluir
  7. quero baixar isso em portugues audio .. como faço??ja pesquisei tudo

    ResponderExcluir
  8. Gostaria de achar pelo menos a legenda em portugues

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …