4.3.12

FORÇA TÁTICA, aka Tactical Force (2011)

Então, aproveitando o último post, vamos falar sobre FORÇA TÁTICA, mais um trabalho do brutamontes  “Stone Cold” Steve Austin lançado no ano passado no mercado de DVD’s e que aproveita para juntar forças com outro ator de peso, Michael Jai White, formando uma dupla da pesada, como diria o narrador da Sessão da Tarde. Infelizmente, o resultado é decepcionante…

Austin é o lider de um esquadrão da SWAT formado por mais três integrantes, entre eles o grandalhão Jai White. A equipe é realmente excelente, resolve qualquer situação difícil seja ela qual for, o problema é que os membros seguem a filosofia do policial linha dura Marion Cobretti, mais conhecido como Cobra, vivido por Sly Stallone em STALLONE: COBRA. Então o negócio aqui é invadir o local, meter balas nos meliantes sem piedade e torcer para que os reféns não se machuquem no processo… mas não se animem muito com isso, porque a forma como tudo é encenado beira o constrangedor.

A solução que o chefe da polícia encontra para o grupo se adequar é ainda mais ridícula! Os quatro membros são enviado a um galpão abandonado para realizar treinamento tático… sim, isso mesmo, os problemas de ética policial do grupo serão contornados com tiro ao alvo, não estou brincando! Bom, calhou de precisamente no mesmo galpão, dois grupos criminosos estarem por lá fazendo negócios, armados até os dentes, enquanto os nossos pobres heróis apenas possuem balas de festim para o treinamento.


Entre os pontos positivos de FORÇA TÁTICA, eu destacaria essa premissa básica, que apesar de boboca, promete muita ação. Fora isso, o resto é um lixo total. A direção de Adamo P. Cultraro (quem?) é péssima, a edição é afrescalhada, a ação em grande quantidade fica apenas na promessa e quando acontece, não é das melhores, o roteiro inventa situações desnecessárias que prejudicam o ritmo, transformam os personagens em burros irritantes que fazem piadinhas fora de hora, sem contar que o filme pouco aproveita do talento de Jai White, que geralmente consegue dar uma melhorada nas produções que encara com suas boas performances em sequências de pancadaria, mas não é o caso aqui… Será que vale a pena falar do Austin? Acho que não…

Tanta estupidez e equívocos reunidos num único filme não conseguem me satisfazer, nem mesmo sendo um exemplar de ação de baixo orçamento direct to video no qual eu embarco de antemão sem expectativa alguma. Até os filmes do Steven Seagal do início da década passada conseguem melhores resultados. Mas, se os afccionados pelo gênero quiserem arriscar com FORÇA TÁTICA, fiquem à vontade.

2 comentários:

  1. > Até os filmes do Steven Seagal do início da década passada conseguem melhores resultados.

    Pegou pesado!

    ResponderExcluir
  2. O filme é um espetáculo de bizarrices, um policial que carrega consigo uma espingarda de chumbinho, outro que atira um pedaço de carne congelada nas fuças de um bandido. O chefe que exige resultados no treino, mas não tem ninguém lá para conferir o score...
    A ação é mediocre, atuação inexistente e ainda por cima aquele personagem que claramente morreu, mas no final aparece vivinho e ainda por cima se revela um agente duplo.
    Eu nem sei como consegui ver esse filme do início ao fim.

    ResponderExcluir

MUDANÇA DE CASA

Depois de um feedback por aqui e na página do Dementia¹³ no facebook , resolvi tomar mesmo a decisão de fechar as portas por aqui e me muda...