Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

PAINEL DO CINEMA DE AÇÃO EM 2012

Em relação a 2011, este ano tivemos um retrocesso na quantidade de filmes de ação realmente estimulantes e interessantes. Naquela altura, consegui listar doze bons representantes do gênero, desta vez, apenas cinco... apesar de todos serem de muito respeito, a constatação de um número tão baixo é deprimente para os fãs de ação. De todo modo, segue a lista dos exemplares que em 2012 mereceram os devidos elogios (em ordem alfabética):

007 - SKYFALL, Sam Mendes

DREDD 3D, Pete Travis

OS MERCENÁRIOS 2, Simon West

THE RAID, Gareth Evans

UNIVERSAL SOLDIER 4: DAY OF RECKONING, John Hyams

Outro seis exemplares que, se não possuem o mesmo nível desses aí em cima, ao menos não são de se jogar fora (em ordem alfabética):

O ESPETACULAR HOMEM-ARANHA, de Marc Webb

GET THE GRINGO, Adrian Grunberg

LOOPER, Rian Johnson

PROTEGENDO O INIMIGO, Daniel Espinosa

RECOIL, Terry Miles

OS VINGADORES, Josh Wedhon
Agora, fiquei abismado pela numerosa quantidade de decepções que o gênero proporcionou esse ano. Uma caralhada de…

TOP 5 - BADASSES de 2012

Dando início às listas de melhores do ano com o selo DEMENTIA 13, aqui vai um top 5 dos personagens mais durões, truculentos, cascas-grossas que tivemos em 2012:

05. John (Scott Adkins) - UNIVERSAL SOLDIER 4: DAY OF RECKONING   Sujeito que encara Andrei Arlovski, Dolph Lundgren e Jean Claude Van Damme no mesmo filme, tem que estar na lista.
04. Drayke Salgado (Danny Trejo) - RECOIL  Onde o Trejo falhou sendo "mocinho" de BADASS, acertou em cheio sendo o vilão carrancudo de RECOIL, que não despreza um bom mano a mano para massacrar suas vítimas. 
03. Forrest Bondurant (Tom Hardy) - LAWLESS  Mãos humanas são incapazes de destruir esse cara.
02. Mad Dog (Yayan Ruhian) - THE RAID  Eu prefiro enfrentar dez Iko Uwais de uma só vez do que Mad Dog sozinho! O sujeito é cão chupando manga! O vilão mais assustador do cinema de ação dos últimos anos.
01. BOOKER (CHUCK NORRIS) - OS MERCENÁRIOS 2 O mito cristalizado ao som de Ennio Morricone.

INITIATION: SILENT NIGHT, DEADLY NIGHT 4 (1990)

Mais um natal, mais um filme da série SILENT NIGHT, DEADLY NIGHT aqui no DEMENTIA 13 SPECIALS CHRISTMAS SEASON, da mesma maneira que temos feito desde 2010. Então, para relembrar essas belezinhas, vamos recapitular: o primeiro era sobre um garoto que viu seus pais sendo assassinados por um sujeito fantasiado de Papai Noel. Anos depois enlouquece e começa a tirar a vida das pessoas vestido de bom velhinho. No segundo, é a vez do irmão caçula desse maluco seguir seus passos. O terceiro, de alguma maneira, força uma continuação direta e traz novamente o assassino do segundo para tocar o terror. Agora, chegou a vez de INITIATION - SILENT NIGHT, DEADLY NIGHT 4, de Brian Yuzna.

A abordagem deste aqui me lembrou o caso do excelente HALLOWEEN III. Para quem não sabe, a ideia de John Carpenter era transformar a sua série em filmes independentes para serem lançados no período de Halloween, cada um com sua trama, seus personagens, deixando o serial killer Michael Myers enterrado no segundo filme…

BOM NATAL A TODOS

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

I JUST WANTED TO SHOCK THE AUDIENCE

(Para ler, primeiro clique na página, depois clique com botão direito e escolha a opção "exibir imagem", ou algo assim).

A MÃO (The Hand, 1981)

Nas palavras do próprio Oliver Stone, “Eles tentaram me derrubar como diretor, mas eu retornei como roteirista”. Seja lá quem são “eles”, Stone estava se referindo ao período após a sua traumática estreia na direção (e que eu tentei explicar aqui) quando havia desistido de fazer filmes e passou apenas a escrevê-los. Finalizou quatorze roteiros em poucos anos, entre eles O EXPRESSO DA MEIA NOITE, que lhe rendeu um Oscar de roteiro adaptado.

Com um prêmio da Academia na prateleira, Stone voltou a pensar na possibilidade de dirigir. Nesse período, os roteiros de PLATOON e NASCIDO EM 4 DE JULHO já estavam prontos, mas os seus financiadores não queriam produzir algo que competisse com o sucesso de APOCALYPSE NOW, do Coppola, e O FRANCO ATIRADOR, do Cimino. Sem poder dedicar-se aos seus projetos pessoais, Stone conseguiu 6,5 milhões para fazer algo menos ambicioso.

Ambição, no caso, é algo relativo. Um Spielberg ou George Lucas, naquele período, com “míseros” 6 milhões, com certeza deveria…