Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

HALLOWEEN II - O PESADELO CONTINUA (Halloween II, 1981), de Rick Rosenthal

Primeiro, uma confissão: da série HALLOWEEN original (e não essa bobagem do Rob Zombie, cujo segundo não me dei nem o trabalho de assistir ainda) os únicos filmes que realmente vi foram os dois primeiros. O do John Carpenter é uma belezura, puta aula de suspense, trabalho atmosférico sensacional, além da utilização magistral de vários elementos que serviram de base para toda uma cadeia de filmes de terror que brotou nos anos 80. Estou sempre revendo. Aliás, toda a obra do velho Carpinteiro deveria ser vista e revista incontáveis vezes...

A continuação de HALLOWEEN, até onde me lembro, foi um dos primeiros filmes de terror que assisti, antes até do que o original. Mas para um pirralho medroso isso não fez diferença alguma, borrei de medo de qualquer forma. Hoje, revendo depois de tanto tempo, continuo achando um bom filme, inferior ao primeiro, mas não deixa de possuir sua força dentro do gênero.

Escrito pelo próprio John Carpenter em parceria com a sua colaboradora, Debra Hill, HALL…

Joseph W. Sarno

R.I.P 1921 - 2010

THE SCARAB

Pelo teor do trailer abaixo, dá para notar que esta produção não é bem chegada aos padrões de qualidade aprovada pela crítica “séria” nem pelo grande público. No entanto, em tempos de superproduções milionárias de super heróis inspirados em quadrinhos (e que poucas vezes resultam em algo realmente interessante), quem curte uma boa tralha de baixíssimo orçamento poderá tirar algum proveito de AVENGING FORCE: THE SCARAB (2010).

Como podem ver, o filme definitivamente não estará cotado para a disputa do próximo Oscar (acho que nem no Framboesa ele teria chance), mas eu tenho uma fascinação obsessiva com este tipo de filme ruim e só descanso depois de ter visto com meus próprios olhos. Posso até me arrepender pelos 90 minutos perdidos, mas na maioria das vezes a diversão é garantida!

THE SCARAB
terá lançamento discreto nos cinemas canadenses no próximo dia 26 de Abril (sim, amanhã, em plena segunda feira), terra natal do diretor Brett Kelly, realizador de algumas “pepitas” classe B nos últ…

GARY SHERMAN EM DOSE DUPLA (OU MAIS UMA DA SÉRIE "TIRANDO O ATRASO")

Risquei dois trabalhos deste ótimo diretor da minha listinha de filmes (quem não tem uma?). Apesar de ser mais conhecido pela sua contribuição na década de 1980, foi no início dos anos 70 que o americano Gary Sherman estreou na direção comandando uma produção britânica, DEATH LINE (1972), bastante elogiado na época. Já em seu país natal, o filme foi distribuído pela AIP e rebatizado como RAW MEAT. Infelizmente teve pouca bilheteria e passou muito tempo esquecido pelo público. No Brasil chegou a ser lançado em VHS como METRÔ DA MORTE

A trama envolve um casal americano em Londres, investigação policial de pessoas desaparecidas e o mito de uma colônia de canibais numa antiga área do metrô da capital inglesa. Tudo muito bem amarrado num roteiro instigante que conta com a presença de vários personagens interessantes, como o chefe da polícia interpretado pelo sempre fenomenal Donald Pleasence, cínico, sarcástico, impagável. Há também uma minúscula participação de Christopher Lee. Sua ce…

"3-D BOOBS IN PIRANHA 3D"

THE BUTCHER (2009)

Estava de olho nesse THE BUTCHER (2009) há algum tempo, lendo algumas críticas gringas de pessoas que compartilham o mesmo gosto que o meu. Foi lançado diretamente em DVD lá fora, não tenho idéia se estará um dia disponível nas nossas prateleiras, espero que sim. Mas foi o meu velho amigo Osvaldo Neto que deu o sinal verde dizendo que era realmente um filmaço. Como eu adoro produções modestas, especialmente de ação, que aproveitam (ou ressuscitam) alguns talentos esquecidos e marginalizados pelos grandes estúdios, como é o caso de Eric Roberts e outras figuras simpáticas que surgem por aqui, fui correndo conferir.

Visto e aprovado, posso dizer que realmente trata-se de um puta filme de ação old school casca grossa, sem firulas de diretores moderninhos que fazem gracinha ao invés de cinema de verdade! E Eric Roberts é um monstro! O sujeito está em plena forma encarnando um ex-boxeador que agora trabalha fazendo o serviço sujo para a máfia. Jogador obsessivo, apreciador de um inebrian…

Da série "tirando o atraso": Casas Mal Assombradas

Assisti pela primeira vez a POLTERGEIST (1982), de Tobe Hooper, há poucos dias. Sei que é um clássico da infância de muita gente, mas é que quando eu era pequeno meu negócio era ação (Stallone, Arnoldão, Van Damme, Seagal, Lundgren, etc) e não achava muita graça em filmes de terror, por incrível que pareça. Só fui me interessar bem mais tarde, especialmente o horror europeu, então esses clássicos americanos modernos do gênero realizados nos anos 70 e 80 acabei esquecendo. Bom, corrigi o erro e aproveitei pra ver também HORROR EM AMITYVILLE (1979), do Stuart Rosenberg, outra lacuna que estava aberta pelos mesmos motivos. Vou tentar falar um pouco sobre os dois, apesar de estar me sentido a última pessoa do mundo a vê-los, então nem tenho muito a acrescentar, a não ser que gostei bastante de ambos. POLTERGEIST foi o que me surpreendeu mais. Mesmo sendo creditado Tobe Hooper como diretor, ainda se discute a influência na direção do produtor Steven Spielberg, que também escreveu o roteir…

Mais POPATOPOLIS

Ainda sobre POPATOPOLIS, o ótimo documentário do post anterior, não deixem de conferir a entrevista que o Osvaldo Neto fez com o diretor Clay Westervelt publicada em seu blog. Boa leitura.

POPATOPOLIS (2009), de Clay Westervelt

Não me lembro de ter escrito sobre algum documentário, mas este aqui vale a pena, principalmente aos fãs de B movies. Mais do que um simples acompanhamento de bastidores de uma obra dirigida pelo Jim Wynorski, POPATOPOLIS é uma homenagem ao universo do cinema de baixo orçamento representado na figura de Wynorski, uma lenda viva que já fez mais de 75 filmes B ao longo da carreira. O mote central do documentário dirigido por Clay Westervelt é que Jim decide filmar seu novo trabalho, o suspense erótico THE WITCHES OF BREASTWICK, em apenas três dias! Seguindo-o constantemente com sua câmerra, Clay acompanha todo o processo das filmagens, além de mostrar quem realmente é Jim Wynorski, contando um pouco sua história, mostrando cenas de seus filmes e entrevistando figuras que fizeram parte de sua jornada, como o mestre Roger Corman, o falecido Andy Sidaris, Julie Strain, Julie K. Smith e outras atrizes, até a mãe do Wynorski não escapa! Dentro de sua casa, Jim exibe cartazes de todos os seus …

ICARUS (2010), de Dolph Lundgren

Na mitologia grega, Ícaro tenta fugir de Creta voando com as asas feitas pelo seu pai, Dédalo, artesão do rei Minos. Mas ao voar muito alto, o calor dos raios do sol derreteu a cera que segurava as penas e Ícaro caiu no mar onde morreu. Mas o que o personagem mitológico tem a ver com o novo filme de Dolph Lundgren, além de servir como título? Absolutamente nada! Ou vocês esperavam uma densa contextualização mitológica num filme de ação estrelado e dirigido pelo eterno Drago?

O máximo da citação filosófica que remete à mitologia é quando o vilão, vivido pelo grande Bo Svenson, apontando uma arma para a cabeça do protagonista, cujo codinome é Ícarus, diz: “Você não pode voar muito perto do sol sem derreter suas asas... Ícarus”, uma metáfora muito bem inserida para substituir o velho “Você chegou ao fim da linha”. Mas tudo bem, o que vale mesmo é que ÍCARUS é um ótimo filme de ação levando em conta os entraves de seu realizador.
No ano passado, os fãs de Lundgren (ou seja, uns 10 maluco…

MEGA PIRANHA - poster e trailer

Novo Pyun e entrevista com a Maurette

Enquanto não posto nada por aqui, vocês podem clicar neste link para conferir o texto que escrevi no blog Radioactive Dreams sobre BULLETFACE, o último filme do Albert Pyun lançado recentemente em DVD em terras estrangeiras.  A bela moça que ilustra o post é a argentina Victoria Maurette, nova queridinha do Pyun, que diz só querer trabalhar com ela daqui pra frente. E, de fato, é bem talentosa. Para conhecer um pouco mais sobre a Maurette, não deixem de ler também a entrevista que o Osvaldo Neto fez com ela e foi publicada no Boca do Inferno.

SURVIVAL OF THE DEAD (2009), de George A. Romero

Para alguns, Romero se tornou um velho gagá. Para outros, continua mestre do terror americano. Acho que está mais para uma mistura das duas coisas. O importante é que o sujeito está aí apresentando seu sexto filme de zumbis, SURVIVAL OF THE DEAD, e se não possui mais a mesma força inventiva da trilogia original (e realmente não possui), ao menos cada filme seu é uma revelação cujos impulsos criativos provam que o velho diretor ainda encontra-se sóbrio em relação ao seu cinema.  Em SURVIVAL, Romero utiliza pela primeira vez um personagem de um trabalho anterior para fazer uma ligação direta entre os filmes. No caso, o líder de um esquadrão do exército que apareceu rapidamente em DIÁRIO DOS MORTOS roubando o trailer dos jovens protagonistas que filmavam tudo com suas câmeras. Mas desta vez ele oferece uma opção visual convencional, substituindo a representação documental. A trama ocorre seis dias após o surgimento dos zumbis em DIÁRIO. O cenário é uma ilha onde duas famílias proeminen…

RAJADAS DE FOGO (Once a Thief, 1991), de John Woo

Acabo de ligar a TV e está passando este filme do John Woo no MaxPrime neste exato momento. Escrevi sobre ele no Dia da Fúria e vale a pena reproduzir aqui, porque RAJADAS DE FOGO tem uma certa importância especial para a carreira de John Woo, não em relação ao filme em si, mas por proporcionar a continuidade de seu trabalho no cinema da maneira como ocorreu. Woo havia acabado a parceria com Tsui Hark; montou sua própria produtora cujo primeiro filme, BALA NA CABEÇA, embora seja um de seus melhores filmes, não foi um sucesso comercial; precisava urgentemente de um material seguro, que não precisasse correr riscos e que tivesse um bom retorno financeiro. Contratou dois atores com quem já havia trabalhado antes e que possuíam grande apelo popular, Chow Yun-Fat e Leslie Cheung; desenvolveu uma estória simples sobre roubo de obras de artes; incrementou com cenas de ação eletrizantes e acrescentou toques de melodrama adicionados de um humor pastelão. Acabou acertando em cheio.

RAJADAS DE F…

VÍRUS (Carriers, 2009), de Àlex Pastor & David Pastor

A distribuidora brasileira nomeou CARRIERS com o mesmo título de uma ficção científica lançada por aqui em 1999, estrelada pela Jamie Lee Curtis e dirigida por um tal de John Bruno. Alguém se lembra desse VÍRUS? O filme inteiro se passa em alto mar, dentro de um navio, onde os personagens enfrentam uma força alienígena. Assisti na época e não lembro nem se é bom ou ruim. Mas pra ficar tão apagado na memória não deve prestar. VÍRUS é um bom nome para este aqui, já que a tradução do título original não soaria muito bem... Mas vamos deixar o título em paz e concentrar na obra que é até bem interessante. Filmes de doenças, mutações bacteriológicas, etc, tem inspirado muitas fitas nos últimos anos, principalmente para explicar o surgimento de zumbis em filmes como EXTERMÍNIO, por exemplo. O vírus/bactéria/arma biológica não apenas mata a pessoa, mas infecta e transforma o indivíduo. No entanto, o que torna VÍRUS uma peça ímpar da safra atual é que o sujeito contaminado não altera seu compo…